quarta-feira, 27 de junho de 2007


FJV
Somos admiradores de Francisco José Viegas, das suas crónicas, blogues, etc. e, principalmente, da dupla irresistível de detectives portuenses Jaime Ramos e Filipe Castanheira, personagens centrais dos seus romances. Com a revista Sábado saiu, há algumas semanas, um livro gratuito que reune textos plublicados nos blogs, da sua autoria, Aviz (encerrado) e a Origem das Espécies. Chama-se “Algumas Distracções” e lê-se instantaneamente e com prazer. Futebol, política, literatura, música, etc., como afirma o autor, tudo “matéria pessoal”. Logo no ínício está esta pequena maravilha que não resistimos a deixar por aqui. Chama-se

AMOR MODERNO

Ás seis da manhã, a rua foi ocupada pela polícia. Dois carros bloquearam os passeios, ali a dois passos do Tejo. Oito agentes saem a correr e sobem as escadas do prédio até lá cima. Está uma luz clara, azulada, quase bonita. Ela tinha tentado dogolá-lo. Ele defendeu-se atacando. A vizinhança tinha outra opinião, havia sexo a mais, chegavam tarde demais, de madrugada, vindos das Janela Verdes, embriagados, cheios de nuvens na cabeça, se me entendem. Talvez fosse ele a empunhar a faca. Desceram com os agentes, havia sangue. Ela era bonita, ele também. Vinte anos. Pouco mais, se for. Ainda se ouviu uma pergunta. Era ela no meio da rua, antes de entrar para o carro da polícia, algemada: “Levas o iPod?”. 2.9.05

terça-feira, 26 de junho de 2007


DAVID SYLVIAN EM BRAGA!
Queríamos muito dar esta notícia mas só agora surge a confirmação: a The World Is Everything Tour de David Sylvian vai passar pelo Theatro Circo a 23 de Outubro próximo! A 21 actua em Lisboa no CCB. Até já estamos arrepiados...
DUETOS IMPROVÁVEIS #6
TV ON THE RADIO & PETER MURPHY & TRENT REZNOR

Dreams (TV On The Radio)
13 de Junho de 2006, ao vivo em Dist. Columbia


JOSÉ GONZALEZ
Mal podemos esperar pelo novo álbum do sueco Jose Gonzalez a ser lançado em Setembro próximo. Chama-se “In Our Nature” e terá uma cover (que já conhecemos de versões ao vivo...) de “Teardrop” dos Massive Attack. Tendo em conta o êxito da versão de “Heartbeats” dos The Knife que fazia parte do primeiro disco, não será difícil de adivinhar, como drakeanos, que vamos gostar. O novo trabalho já circula pelos meandros habituais da rede... Entretanto, fiquem com outra grande versão!

segunda-feira, 25 de junho de 2007


PORTUGAL! PORTUGAL!
Por hábito e preconceito incompreensível, estamos quase sempre atentos ao que de novo se vai fazendo lá fora e fazemos maratonas para ir ver uma banda estrangeira 300 km’s a sul. Esquecemos que também temos bons músicos, ideias frescas, projectos com pernas firmes no nosso cantinho. O disco Novos Talentos FNAC 2007 que está à venda nas lojas da cadeia francesa é uma prova consistente que o futuro da música em Portugal é promissor, deversificado, interessante e até inovador. São só 3€ com opção audio ou mp3 incluida! É só menos um maço de tabaco, ou menos meia dúzia de cafés e a totalidade das receitas reverte para a AMI/Info Exclusão. Gostamos de quase tudo o que ouvimos, ou não estivesse a direcção artística entregue ao “lutador” Henrique Amaro. Os Macacos do Chinês no tema Inspiração cantam/dizem há cada vez mais artistas e cada vez menos obras de arte! Um dia, um deste projectos fará, com toda a certeza, uma dessas obras raras. Para já e para esboço, este é um bom começo. Comprem o disco!

FAROL #28
Em homenagem aos 7 corajosos e sãojoaninos dj's que se aventuraram a passar música desde as 7 da tarde até às 7 da manhã, aqui fica uma ligação previligiada para um concerto dos inspiradores Clash em 1982. Agora que ninguém nos ouve, é bem verdade que nos esquecemos de passar os Clash, mas o "magnífico" set não dispensou pérolas do José Cid, Broa de Mel e até o Abanibi... tudo, sem excepção, em vinil original e sem auscultadores! Ficamos à espera das fotografias...
RECOMEÇAR...
Após semana de lufa-lufa e sem tempo para bloguear, esperamos a partir de hoje retomar o condomínio do prédio... Logo hoje, dia intenso na capital, onde entre museus, festas e afins se juntam os Rolling Stones! É a última oportunidade (quantas vezes já ouvimos isto?) para os ver ao vivo e a cores. If you start me up...

terça-feira, 19 de junho de 2007


LUNARIDADES #16

. do Festival de Paredes de Coura ainda não surgiu aquele conjunto de nomes que o torne tão atractivo como em 2006 e 2005. Ainda mantemos a esperança! Triste é mesmo o cenário de Vilar de Mouros que, não apostando na renovação de públicos e em certeiras estratégias de atracção, foi perdendo importância, implantação e consistência. As querelas políticas não disfarçam o indisfarçavel... Não se (sobre)vive só com mitos.
. o Museu Berardo em Lisboa abre no próximo Domingo dia 25 com festa nocturna, entradas gratuitas, dj’s e tal (aonde é que já vimos isto?). Há que aproveitar, porque depois a entrada vai custar 5€. É que a colecção avaliada em 316 milhões de euros (!!!) pela Christie’s e que durante 10 anos vamos poder ver em Portugal, pode ao fim desse tempo ser vendida para o estrangeiro... Entretanto, todos vamos pagar o aluguer das 1500 obras, o CCB é oferecido e o comendador escolhe quem quer para director e restante direcção/gestão, enquanto os 29 museus do estado (I.P.Museus) espalhados pelo país estão, a todos os níveis, na penúria... Mas capital há só uma, infelizmente!
. fim-de-semana de chuva e trabalho ou de trabalho com chuva ou a trabalhar e a chover. Como queiram e por isso laré foi nenhum! Leituras e jornalada em standby. Lá chegaremos!

segunda-feira, 18 de junho de 2007



FAROL #27
De tempos a tempos sabe bem ouvir os U2! Ainda por cima da fase Achtung Baby/Zoo TV (1992). A nossa amiga de sempre oferece uma versão semi-oficial de temas gravados ao vivo, misturados com entrevistas/spots/etc. e produzidas/compiladas pelo então Dj da digressão americana B.P. Chama-se Outside Boadcast...
HILTON Parodia
Prendem a menina e há logo quem se divirta, gaste dinheiro, produza um video e ganhe dinheiro? Divertido!
PARIS IN JAIL: The music video

sábado, 16 de junho de 2007


CULPRIT 1
Em noite de T(i)esto na Ribeira, nada como algo verdadeiramente novo sem o ser... Mylo? Dj Shadow? James Hanna, um pacato do País de Gales, que cresceu nas raves dos inícios de 90 e que depois de diversos máxis, remisturas e afins avança para um disco sob o nome de Culprit 1. Chama-se “Running in Order” e foi editado já este ano. As sua influências, inscritas no MySpace, vão de Arcade Fire a Boards of Canada de Bloc Party a Steve Reich e Yes! Prometedor.

Culprit 1- No need to ask (primeiro single)

sexta-feira, 15 de junho de 2007


THE BOSS NA RTP2!
O disco e respectivo DVD saíram no início do mês. Trata-se de uma datas da digressão de Bruce Springsteen de Novembro de 2006 em Dublin na sequência do disco "We Shall Overcome - The Seeger Sessions", tributo/homenagem a Pete Seeger, uma lenda do folk americano. Pois bem, a nossa RTP2 num golpe de actualização, vai passar amanhã, sábado, pelas 11.45h, este mesmo espectáculo/DVD em versão televisiva (talvez mais curta...)! É o que se chama serviço público!

COURA 07
O Rádio Sushi Bar, ali em frente à Alfândega do Porto/Museu dos Transportes, recebe amanhã a festa oficial de apresentação da edição de 2007 do Festival de Paredes de Coura. Comemoram-se 15 anos do festival com direito a edição de um disco evocativo. Aguarda-se com expectativa a confirmação de mais nomes para o elenco deste ano. Vamos lá ver se algum dos nossos pedidos se confirmam... Um deles eram os Strokes, que não andam em digressão, mas cujo guitarrista Albert Hammond Jr, soube-se hoje, toca no Sudoeste!

JOSÉ CID, o incontornável
Já com 50 anos de carreira (!) o homem vai lançar um disco novo... Chama-se "Pop-Rock & Vice-Versa" e apresenta temas chamados, por exemplo, "Beatlemania", remakes dos clássicos "Macaco" ou "Favas c/ choriço" e versões como a de "Strawberry fields for ever". Espreitem só a produção! Tapem os ouvidos ou ponham mais alto! Não conseguimos resistir... ainda não sabemos é porquê! Podem confirmar tudo na Avenida dos Aliados no dia 23 de Junho na festa de S. João. Ele vai lá estar!

CHARLIE MUSSELWHITE
A sugestão já tinha surgido via email, mas só uma emissão de rádio nocturna do programa “Coiote” da Ant3na nos aguçou a curiosidade. Hoje em Braga o espectáculo é apresentado desta forma:
Musselwhite é uma lenda viva, um dos tocadores de blues na harmónica mais criativos e empolgantes de sempre. O álbum “Delta Hardware” é de uma maturidade tal que foi considerado por muitos como “o melhor do ano”. A revista Billboard intitulou-o, até, de “rock’n’roll irreverente”. Ao vivo, tem melhorado com a idade e é deveras emocionante. Blues puro, directamente de Mississippi para o Circo.
Com um CV impressionante que vai de colaborações com Tom Waits (no tema Chocolate Jesus de Mule Variations) a John Lee Hooker, vamos lá ver se não perdemos esta oportunidade única (é a primeira vez que o músico vem a Portugal). Faz-nos ainda recordar o quanto gostamos de blues...
Charlie Musselwhite - Blues for yesterday
John Lee Hooker with friends

quinta-feira, 14 de junho de 2007


SON(H)AR…
Começa hoje em Barcelona o Sonar 2007, o principal festival de música electrónica e afins da Europa. A imagem, o site e todo o merchandise apresenta o nosso amigo Smiley em diferentes contextos como é o exemplo a imagem acima. Ela faz parte de um conjunto de fotografias do passado, com cenas de cirurgia, onde Smiley surge a cobrir a cara de um dos personagens de uma forma absurda mas ao mesmo tempo curiosa e contrastante. Aonde é que eu já vi isto ;-)? Quanto ao programa musical, só nos resta so(h)nar...
DUETOS IMPROVÁVEIS #5
Ray Lamontagne & Damien Rice
To love somebody (Bee Gees)
Programa “Taratata”, TV França, 13 de Janeiro de 2007

quarta-feira, 13 de junho de 2007


PRINCE
Enquanto ainda decorrem em Londres as 21 apresentações ao vivo de Prince (só faltam 6...) surge no YouTube um cheirinho comercial do que vai ser o novo single. Chama-se “Guitar” e antecipa o álbum “Planet Earth” a editar a 16 de Julho. Novidade é a participação de Wendy e Lisa, duo histórico da banda de Prince aquando de ”Purple Rain” (1984). O homem não envelhece... Sign of the times?
Prince - Guitar

VILAR DE MOUROS CANCELADO!
A notícia surgiu via rádio e não é de todo inesperada. A quantidade de oferta festivaleira faz a primeira "baixa". Nos próximos tempos, temos a certeza, outras se seguirão. A razão principal é, aparentemente, a falta de apoio da Câmara de Caminha. Sentimos que, no fundo, diversos factos podem estar na base deste desenlace entre os quais um basilar: a falta de procura. Ainda não é desta que vamos ver o Brian Wilson...

SIMONE WHITE
Nova “musa” do folk, de origem havaiana, com feições clássicas a lembrar muitos nomes como Susanna Vega ou até Karen Dalton. Com a boa ajuda de Mark Nevers, músico dos Lambchop, Calexico ou Silver Jews, Simone detaca-se pela simplicidade, romantismo e intensidade dos seus temas. Grande a versão de “I didn’t have a summer” de Carol King já incluida no seu primeiro disco de 2004, agora revista no novo álbum de nome “I Am the Man”. Inspirador!
Simone White - I Am the Man

terça-feira, 12 de junho de 2007


CLÁSSICO #11
Na sequência do desabafo das Lunaridades, aqui fica este verdadeiro clássico oitenta, menos conhecido que o eterno “Video Killed the Radio Star”. Os Buggles eram Geoff Downes e Trevor Horn e o disco “Age of Plastic”, de 1980, era uma daquelas obras conceptuais sobre as mudanças técnológicas e o seus efeitos no mundo. Horn viria depois a ser fulcral como produtor de alguns icons pop como os ABC, os Frankie Goes to Hollywood e os saudosos Art of Noise.
Neste single canta-se:

Living in the ...
Living in the plastic age
Looking only half my age
Hello doctor lift my face
Premonição?
Buggles – Living in the plastic age

segunda-feira, 11 de junho de 2007


LUNARIDADES #15
- porque é que em Junho é sempre este o cenário? Trabalho, compromissos e impedimentos quando só dá vontade de sair, passear e curtir? E a reforma está tão longe...
- como exemplo do atrás referido está o Festival Mestiço da CDMúsica. Algumas coisas eram atraentes mas não foi possível comparecer... Agora, pelos relatos e notícias o problema continua o mesmo: uma casa construída de raiz para a fruição musical “empurra” o evento para um parque de estacionamento sem condições e, à boa maneira portuguesa, “pra desenrascar”... Ao menos façam-no ao ar livre!
- outro exemplo: a ida prometida há anos ao Sonar de Barcelona, que começa esta semana, vai mais uma vez ficar para uma próxima oportunidade. Se continuar a ser em Junho, lá está, só será naquele dia de S. Nunca...à tarde.
- o feeling já vem de trás, mas dá a ideia que o cartaz de Paredes de Coura vai ser muito pouco atractivo, tendo em conta os dois últimos anos. Estão lá os Sonic Youth e os CSS, bem como os Architecture in Helsinki, mas parece(m) ainda faltar alguma(s) “coisa(s)”. Definitivamente, o SBSR arrasou a concorrência!
- ao longo do ano algumas das trocas de impressões parecem saídas de conversas de 1982: ja saiu o single vinil do ..., o disco dos... já está na Fnac em vinil, preciso de um agulha xpto... ah e de um veludo para limpar os discos, o prato custa x mas este é melhor que o outro... Será que estamos outra vez, como cantavam os Buggles, “Living in the plastic age”?

ANTIPOP MUSIC FESTIVAL 2007
Em semana de Sonar e sem comparações, uma nota/alerta para a próxima edição do Anti-Pop Music Festival que decorre em Viana do Castelo em Agosto. Parece prometedor e, para já, em live acts estão confirmados, entre outros, Ellen Allien (foto) & Apparat, Matthew Dear e Gui Boratto! Um "outro" bálsamo entre o Sudoeste e Coura...
quinta 09 :
Ellen Alien & Apparat (live)
Matthew Dear Big Hand´s Tour (live)
Dezperados (dj)
Expander (dj)
Thinkfreak (live)
Nuno Di Rosso (dj)
sexta 10 :

Richie Hawtin (dj)
Magda (dj)TRoy Pierce (dj)
Heartthrob (live)
Gaiser (live)
Freshkitos (dj)
sábado 11 :
Ata (dj)
Octave One feat Random Noise Generation (live)
Extrawelt (live)
Gui Boratto (live)
Rui Vargas (dj)
Magazino (dj)
Miguel Rendeiro (dj)
OEIRAS ALIVE - WHITE STRIPES + THE GO! TEAM + SMASHING PUMPKINS
Passeio Marítimo de Algés, 09 de Junho




A época de festivais de verão aí está e nada como começar da melhor maneira! Viagem a Lisboa especialmente dirigida e dedicada aos já muito esperados White Stripes. A espera valeu bem a pena! Depois da montagem de todo um cenário branco-vermelho-preto, que vai dos fatos dos roadies, à lindíssima bateria de Meg ou à fita-cola usada na fixação de fios, etc., etc., os “irmãos” foram simplesmente arrasadores desde o primeiro tema. Som fantástico, robusto, voz e postura de Jack White electrizante e irrequieta e um alinhamento a que só faltou “Hardest button to botton”. De resto, para além de alguns temas do novo disco, tocaram muitos dos chamados míticos: 'Fell in Love With a Girl', 'Hotel Yorba', 'Jolene', 'My Doorbell', 'Blue Orchid', “Death Letter”, “John the Revalator”, “I don’t know what to do with myself”, etc., para acabarem com o lendário “Seven Nation Army”, entoado, ao jeito de claque, por todo o público. Os White Stripes são uma máquina poderosa em palco, de posturas diferenciadas mas complementares - Jack o “maestro” e verdadeiro pirómano agitador e Meg, silenciosa e tímida, mas com um grau de eficácia surpreendente baseada numa técnica linear e segura. Não existem exageros festivaleiros para o show off mas sim um objectivo a cumprir - deixar a música falar e ser ela, simplesmente, a fazer a diferença. E faz! Irresistível, saudoso e a prova cabal de como o rock se pode reinventar! Basta uma guitarra e uma bateria...


Ainda não refeitos do “estalo” Stripes, levamos de seguida um outro, mais leve mas também intenso! Os The Go! Team tocaram num palco secundário, dentro de uma tenda de circo situada no oposto ao palco principal. Numa hora de “jogo”, a equipa, sem “posições” fixas, não deu tréguas à dança. O ritmo frenético dos seus temas encontra na simpática vocalista principal, de nome Ninja, a “distribuidora” de jogo oficial. Diversão, folia e energia são espalhados através de duas baterias, guitarras, flautas, xilofones, etc. e as poucas pessoas presentes rapidamente aderem à “claque” de apoio que tem em “Ladyflash”, tema com que terminaram, o hino oficial do “clube”. Ficamos à espera de um novo “jogo” num palco principal e numa liga de topo. Quem bate palmas é... Go! Team, é Go! Team, é Go! Teeeeeeeeeeeeeam!

Quanto aos Pumpkins, já não há pachorra! Pare este peditório a nossa última contribuição foi em 2000 no Coliseu do Porto, depois de outros dois anteriores donativos, entre eles o mítico concerto à chuva de Cascais em 1996! Até aí, Corgan parecia saber o que andava a fazer, mas depois o “barco” nunca mais saiu do sítio e o rumo ficou completamente à deriva. Talvez a chuva que os acompanharam novamente ontem seja um indicador da quantidade de “água” que o tal barco tem metido. O naufrágio é/foi iminente...

sexta-feira, 8 de junho de 2007


3 X 20 Junho
20 canções X 20 versõe X 20 remixes


20 canções
. PATRICK WOLF - Magpie
. FEIST - 1 2 3 4
. RICKIE LEE JONES – Where I like it best
. ANDREW BIRD - Plasticities
. FIELDS – If we fail we all fail
. THE NATIONAL - Brainy
. BATTLES - Tonto
. THE FIELD - Over the ice
. THE SEA AND THE CAKE – Crossing line
. SONDRE LERCHE – Say it all
. BLOC PARTY – Secrets
. ARCTIC MONKEYS - If You Were There, Beware
. KINGS OF LEON - True love way
. FIELD MUSIC - A House Is Not A Home
. FUJIYA & MIYAGI – Photocopier
. BAND OF HORSES – The great salk lake
. ARCADE FIRE – No cars go
. LCD SOUNDSYSTEM – Time to get away
. MAGIC NUMBERS – Take a chance
. THE RAKES – We danced together

20 versões
. JOHN YOKO – The morning paper (Smog)
. ELTON JOHN – Way to blue (Nick Drake)
. PEDRO THE LION - Waiting for Superman (Flaming Lips)
. CLEM SNIDE - I'll Be Your Mirror (Velvet Underground)
. SLOWBEAR THE GREAT - Banquet (Bloc Party)
. OF MONTREAL - Starman (David Bowie)
. BLOC PARTY - Any way (Nelly Furtado)
. KAISER CHIEFS - Golden Skans (Klaxons)
. LCD SOUNDSYSTEM - No Love Lost (Joy Division)
. PRESIDENTS OF THE UNITED STATES … - Video Killed The Radio Star (Buggles)
. SOFT TIGERS - Heart It races (Architecture In Helsinki)
. DAVID E SUGAR – Just Like heaven (The Cure)
. JEFF BUCKLEY – The boy with the thorn in his side (The Smiths)
. NATALIE MERCHANT – Last goodbye (Jeff Buckley)
. RUFUS WAINWRIGHT - The Origin Of Love (Hedwig)
. THE KILLS – I call it art (Serge Gainsbourg)
. THE DYNAMICS – Seven nation army (White Stripes)
. FRANZ FERDINAND – All my friends (LCD Soundsystem)
. JOE JACKSON – The harder they came (Jimmy Cliff)
. MARK RONSON feat. ALEX GREENWALD - Just (Radiohead)

20 remixes
. ARCHITECTURE IN HELSINKI - Heart it Races (Trizzy's Rusty Tin Can Mix)
. THE TEENAGERS - Homecoming (Passions RMX)
. CUT COPY - Hearts on Fire (Joakim Remix)
. PHONIQUE & ERLAND OYE - For The Time Being (Motorcitysoul remix)
. JUNIOR SENIOR - Shake Your Coconuts (DFA Remix)
. ARMAND VAN HELDEN - I Want Your Soul (Fake Blood Remix)
. SIMIAN MOBILE DISCO - It's The Beat (Suivez Remix)
. RAGE AGAINST THE MACHINE - Killing in the Name (Mr. Oizo remix)
. GUY J & SAHAR Z - Hazui (Gui Boratto remix)
. JOAKIM - Lonely hearts (loving hand remix by tim goldsworthy)
. SHIT DISCO - Ok (Acid Girls Remix)
. THE KILLERS - Somebody Told Me (The Glimmers Remix)
. JUNIOR BOYS - Double Shadow (Kode 9 Remix)
. CSS - Let's Make Love and Listen To… (Hot Chip Remix)
. LIARS - It Fit When I was a Kid (Crystal Castles Remix)
. GOTYE - Coming Back (Faux Pas Bellheadless remix)
. AIR - Mer Du Japon (Teenagers Remix)
. BONDE DO ROLE - Office Boy (Architecture in Helsinki Remix)
. ANNIE - Happy Without You (SebastiAn Remix)
. CHEMICAL BROTHERS - Do it again (ian saint laurent remix)

SUDOESTE RECHEADO!
Pelo que lemos no IOL Música o cartaz deste ano do Sudoeste está encerrado e apresenta, entre algumas coisas dispensáveis, um lote bem interessante de nomes ao gosto cá da casa:
National, Of Montreal, Editors, Noisettes, Phoenix, I'm From Barcelona, Camera Obscura, Cinematics, Data Rock, Koop, Patrick Wolf, Sondre Lerche...
Dá que pensar! Ficamos à espera da resposta definitiva de Paredes de Coura.

quinta-feira, 7 de junho de 2007


FAROL #26
Prince faz hoje 49 anos mas como crente jeová não festeja aniversários. Nem sempre foi assim. Em 1985 decidiu, neste dia, alugar o Prom Center em Minneapolis, juntar alguns amigos e amigas (Sheila E, Susannah Melvoin) e party!!! Chamaram-lhe motim... Parabéns, Mr. Prince!

(RE) LIDO #4
Northern Sky
de Mark Radcliffe, Londres, Hodder, 2005

O autor deste livro é músico e radialista na BBC2, tendo apresentado nos anos 90 o programa The White Room do Channel 4 inglês e que passou em Portugal no final de algumas emissões da RTP2. Esta sua primeira novela/romance apresentava uma sinopse atractiva aqui para a casa: um grupo de amigos amantes da folk que se juntam num clube local chamado Northern Sky, sonhando com a fama e popularidade e, obviamente, de extrema dedicação a Nick Drake. Trata-se de uma história interessante, levando-nos aos meandros estratégicos da promoção musical a partir do nada que o autor bem conhece e que retratou na sua autobiografia Showbusiness. Talvez devido ao inglês popular e de calão britânico, o livro não foi de fácil leitura, basta ver que demoramos quase quatro meses para o terminar... A narrativa passa principalmente por Ed Beckinsale, que na primeira pessoa, faz a ligação com todos os outros personagens e que centra a sua estratégia na reconquista de uma antiga namorada. Ela, também cantora e autora e que faz parte do tal grupo, tem uma paixão eterna por Vashti Bunyan, outro icon da folk inglesa, e começa a destacar-se pela qualidade das suas composições e voz. Logo surgem invejas, intrigas, ciumes e arrufos e, como não podia deixar de ser, tragédia, com a morte por acidente do amigo/inimigo entretanto elevado a grande promessa musical. Para quem gosta de música, lida com grupos ou amigos músicos esta é uma boa sugestão de leitura e que, imaginamos, daria um interessante filme ou série da BBC...
CAMPOS MAGNÉTICOS!
Três discos, três projectos, três boas surpresas. Todos com a palavra FIELD no nome de baptismo a provocar alguma confusão. Aqui fica o esclarecimento sobre estes novos e férteis campos magnéticos...



FIELD MUSIC – Tones of town, Memphies Industries, 2007
Segundo disco deste projecto nascido em Sutherland, Inglaterra, com fortes influências da pop independente de 80. O primeiro single "A house is not a home" tornou-se já indispensável. Fresquinho, fresquinho!


THE FIELD - From here we go sublime, Kompakt, 2007
Projecto do músico sueco Axel Willner, trata-se de música para dançar. Nem mais nem menos, apesar de etiquetas como minimal techno, etc., etc. Gravado para a Kompakt, o disco é uma teia de samples manipulados e programados de uma forma excelente, vindos de um fã de David Lynch. O seu site chama-se Garmonbozia, substância supostamente recolhida do medo e sofrimento das pessoas e que servia de alimento a alguns personagens da série Twin Peaks...Tricky e sublime!


FIELDS - Everything last winter, Atlantic, 2007
Nova banda inglesa (Birmingham), com canções e melodias fortíssimas a que se juntam guitarras à moda antiga, isto é, bem esticadas e noise friendly. Com aquela frescura típica de primeiro disco, onde tudo foi devidamente amadurecido, junta-se, para já, algum hype merecido. O intenso tema "If we fail we all fail" é simplesmente fantástico!

Fields – If we fail we all fail
DUETOS IMPROVÁVEIS #4
PJ Harvey & Bjork

Satisfaction (Rolling Stones)
Britt Awards, 1995


REBECCA MOORE...
Conhecida por ter sido musa e namorada de Jeff Buckley, Rebecca Moore apresenta-se amanhã em Braga num concerto dado como raro. Serão interpretados temas dos aclamados discos «Admiral Charcoal`s Song» e «Home Wreckordings 1977-1999». Em palco, a cantora, violinista, actriz e compositora vai estar acompanhada pela banda “The Prevention of Blindness”. Após esta breve digressão de 4 datas (duas em Portugal, uma em Espanha e outra em França) a multifacetada artista nova-iorquina - que se tem destacado pelo carácter activista e pela adesão a causas sociais - regressa a casa para prosseguir com as gravações do seu terceiro álbum, desta vez para a editora Tzadik de John Zorn. Às escuras, já que não conhecemos nenhum dos discos, esta é uma boa oportunidade de descoberta, uma boa descoberta, por sinal, pelo que se pode ouvir no myspace...

quarta-feira, 6 de junho de 2007


VASCULHAR #6
De Jodie Foster são, pelo menos, inesquecíveis as personagens de Iris em Taxi Driver (1976) de Scorcese ou a Clarice de Silêncio dos Inocentes (1991). Desconhecida é esta sua faceta paralela de cantora! Tendo frequentado a Escola Francesa em Los Angeles, o seu francês é excelente. Em 1977 gravou dois singles em França que faziam parte da banda sonora do filme “Moi, fleur bleue” (Stop Calling Me Baby!) e onde também participa como actriz: um chamado ”Je T'attends Depuis la Nuit des Temps” e outro, este, "When I Looked at Your Face". Em ambos, o lado B é uma musiquinha de título “La Vie C'est Chouette”, uma verdadeira pérola pop! Hoje com 44 anos e uma carreira firmada será que ela se lembra destas figuras? Pena que o YouTube disponibilize poucos arquivos desta fase. Mesmo assim, como prova, topem isto...
Jodie Foster - Je t'attends depuis la nuit des temps

terça-feira, 5 de junho de 2007


(RE) VISTO #8
THE FEARLESS FREAKS – THE FLAMING LIPS
De Bradley Beesley, 2005, Warner Brothers DVD

Falar dos Flaming Lips não é tarefa fácil. Uma banda como esta, com mais de 20 anos de história enraizada no punk e no hardcore e cujo reconhecimento só apareceu em 1999 com o magnífico álbum Soft Bulletin, só pode ser especial. A tal história é contada na primeira pessoa, ou seja Wayne Coyne, vocalista e líder, visitando os seus locais de infância e adolescência em Oklaoma. As ligações às famílias dos outros membros e a duríssima equipa de futebol americano de bairro chamada... Fearless Freaks. Jogar, tocar guitarra e droga. Desde cedo, este foi o ambiente incontornável por onde todos passaram e que se tornou decisivo no som e filosofia do grupo. As primeiras gravações e até a incredualidade por uma major como a Warner ter interesse, a partir de 1990, no projecto, ligação que ainda hoje se mantêm! Por lá passou entre 1989 e 1991 Jonathan Donahue que, em rota de colisão com Wayne, haveria de formar os Mercury Rev. O click dado pelo êxito “She dont use jelly” em 1993 torna-se decisivo para as liberdades que o grupo teria no futuro para realizar os seus discos. Referências e histórias de Zaireeka de 1997, disco quádruplo e que só funciona tocando todos ao mesmo tempo... Antes desta aventura outra maluqueira: 40 gravadores/leitores de cassetes convocando os fã para tocarem 40 gravações ou mesmo tempo num parque de estacionamento! De repente, suddenly everything has changed, com Soft Bulletin, disco muito comparado a Pet Sounds dos Beach Boys e temos a banda em 1999 nas bocas do mundo. Maior arrojo, concertos ao vivo inesquecíveis e imprevisíveis (que o digam os que tiveram, como nós, em Coura em 2000. Brutal), imagem de marca que ainda hoje prevalece. Paralelamente, Wayne decide fazer um filme chamado “Christmas on Mars” (no site oficial podem ver já o trailer), projecto mirabulante e onde “cairam” Cristina Ricci e Adam Goldberg mais toda a família e amigos da banda... Imperdível!
Nota para a novela politicamente correcta, já no fim, sobre a libertação do vício de heroína de Steven Drozd, elemento crucial na vida da banda e no seu actual sucesso. Pena que a versão “sacada” por mão amiga não inclua o conjunto de extras da versão oficial. Vamos esperar pelos saldos...
Fearless Freaks commercial

segunda-feira, 4 de junho de 2007


LUNARIDADES #14
. O FITEI e outros festivais de teatro andam por aí mas por nítida falta de tradição ou hábito passam quase sempre ao lado das nossas escolhas. A razão plausível para este facto só pode ser uma – falta de formação. Temos que aprender a gostar. Mais...

. lemos na revista Atlântico de Junho a habitual crónica de Carla Hilário Quevedo sobre blogues e concordamos inteiramente com a reflexão: o discurso pela negativa, pilhar ideias alheias e resmungar no anónimato são, com toda a certeza, as maneiras mais irritantes de estar na blogosfera. Na mouche.

. a história “kiss my ass” da capa do NME - New Musical Express da semana passada correu mundo e gerou polémica. Os Gossip não precisavam disto para vender discos. Ou será que sim? That’s only rock’roll but…

. sobre Serralves e a sua festa uma só palavra – ESPANTOSO!

. que fazer quando julgamos conhecer bem os nossos amigos e, por uma razão ou por outra, surge a desilusão? Começar de novo...

SERRALVES EM FESTA
2 e 3 de Junho 2007

Do fim de semana em cheio de Serralves, deixamos algumas notas rápidas e respectivas fotografias sobre os momentos musicais presenciados, embora tenham existido inúmeros outros que, por falta de tempo ou incompatibilidade de agenda (pois é ...), não conseguimos ver. Assim:




WILLIEM BREUKER KOLLEKTIEF
Sábado, Prado, 18.00h

Formado por 10 músicos experimentados, o colectivo toca jazz de uma forma não convencional, misturando-se estilos e velocidades num contínuo desfile de variações. Cada um deles tem direito a “saltar” para o centro do palco para brilhar individualmente, mostrando as suas capacidades e qualidades. Os temas são perfeitamente ampliados e revistos, desde Gershwin ao “Malhão”, este último literalmente retorcido e decomposto pelo pianista de serviço. Em fim de tarde soalheiro, deitadinhos na relva, este foi um excelente lounge preparatório para a festa que se adivinhava!

7 MAGNÍFICOS
Domingo, Prado, 1.00h
A tenda instalada no Prado está ao rubro e a plateia imensa de gente que a rodeia vai esgotando a cerveja e a paciência para a conseguir (problema antigo...). A equipa de Dj’s do Porto está desfalacada (só contamos 6) mas, mesmo a jogar com menos um, o ritmo é vigoroso e sem tréguas para o que contaram com o apoio nítido da água amarela (águas da Cuf)! Passagens? Coerência sequencial? Nada disso... De James Brown aos Prodigy, de White Stripes on rap à Internacional Socialista, com que terminaram anarquicamente o set, vale tudo menos tirar olhos. Unidos venceremos!


JOAKIM AND HIS ECTOPLASMIC BAND
Domingo, Prado, 2.15h

A versão de produtor e remisturador de Joakim teve nos últimos anos um upgrade: formou uma banda em jeito tradicional (bateria, baixista e guitarrista) e juntou-lhe os sons do seu aparelho Korg e não só. O resultado é consistente e até revigorante. Pena que a actuação tenha durado pouco (menos de uma hora) e que Joakim, do alto dos seus quase dois metros, tenha demonstrado falta de entusiasmo e/ou inspiração. A confirmar another time another place.

DIPLO
Domingo, Prado, 3.00h
Com uma aura e fama consideráveis, pela numerosa lista de remisturas para gente graúda que realiza, achamos Diplo uma perfeita desilusão. Apelidado de eclético e bombástico, assistimos a um desfilar de misturas, mashups, kuduros e quejandos em loop duvidoso, ao que junta alguns pozinhos de pop-rock clássico como Kim Karnes ou hits modernos dos Hot-Chip. Nalguns momentos ”aquilo” chega a roçar o azeite... A dúvida era partilhada por muitos: no seu set não vimos um único disco, mas sim um simples computador que, aparentemente, controla e onde terá carregado somente no Play do ficheiro previamente gravado?




PANDA BEAR
Domingo, 19.30h, Ténis

O músico Noah Lennox, um dos membros dos Animal Collective, surge neste projecto sozinho. É assim que ele aparece no magnífico espaço desportivo de Serralves, transformado em sala ao ar livre e centro de um pulmão verde deslumbrante. O concerto, sem pausas, consta de diversos suportes rítmicos pré-gravados aos quais acrescenta a sua voz. O resultado é bem interessante, seja nalguma pop clássica à la Brian Wilson ou em electrónicas planantes e sincopadas plenas de bom gosto. Alguns iam desistindo, sendo as cadeiras imediatamente ocupadas por outros interessados e certamente mais jovens... Calmo e embalante!

THE WORLD IS A MESS BUT MY HAIR IS PERFECT (THE CLITS)
Domingo, 21.00h, Celeiro
O espaço do celeiro não é muito grande e por isso está a abarrotar. A vocalista vai-se misturando com o público desafiando e provocando a participação. Palco não existe e a proximidade física mais o ritmo punk-rock faz-nos lembrar aquelas intensas festas/concertos de garagem! O duo português tem carisma e os temas estão bem esgalhados, num retorno de influência punk, electro e afins. A descobrir.

JOHN BUTCHER
Domingo, 22.00h, Casa de Serralves
Para que serve um saxofone? Tradicionalmente para ser tocado pelo sopro e dedilhado em teclas. Só que Butcher improvisa e liga-lhe amplificadores que permitem a distorção, o feedback e o ruído. Sons quase impreceptíveis ou em repetições crescentes a que é impossível ficar indiferente. A prova de como um saxofone pode ser explorado infinitamente. A surpresa do dia!


XIX – BEN NEILL E MIMI GOESE
Domingo, 23.00h, Prado

Do saxofone para o tompete em cinco minutos! O trompetista Ben Neill juntou-se a Mimi Goese (ex. Hugo Largo) neste projecto denominado XXI. Às composições de Neil tem aquele cariz atmosférico a que se soma a voz inconfundível de Mimi, num conjunto ambiental perfeito. Em palco, a vocalista apresenta-se carismática, provocando o público com os seus gestos ou interjeições. O projecto conta ainda com um baterista e um baixista de elevada qualidade e perfeitamente integrados A contornar o cenário são projectadas imagens da Holly Daggers, artista que atrás do palco adequa o ritmo a sequências indefinidas mas líndissimas. A cereja em cima do bolo de uma festa incontornável. Talvez por isso foram os únicos que tiveram direito a encore para delírio do rendido público.