segunda-feira, 28 de abril de 2014

GUADALUPE PLATA NOS MAUS HÁBITOS





















Uma banda de blues a cantar em castelhano pode parecer estranho, mas ouvindo o terceiro disco dos Guadalupe Plata a rendição é imediata. O trio da Andaluzia, que adoptou o mesmo nome da virgem padroeira de terra natal Úbeda, apresenta uma consistência notável de um género intemporal e sem fronteiras que teremos oportunidade de ouvir no próximo dia 17 de Maio nos Maus Hábitos. Antes passam por Lisboa e Vila Real.



UAUU #194

terça-feira, 15 de abril de 2014

UAUU #193

(RE)LIDO #60





















OS BEATLES NA IMPRENSA PORTUGUESA 1963 - 1972
de Abel Soares Rosa. Lisboa; Blogue Beatles Forever, 2013
Este caderno colorido que nos chegou às mãos é mais uma aventura dos "tolinhos" dos de Liverpool que insistem em arriscar a edição cá pelo canto de matéria desprezível para muitos mas saborosa para mais alguns "tolinhos" como o aqui da casa. Nota-se, pelo entusiasmo do autor, que a "coisa" não vai parar e se o "assunto" parece esgotar-se a cada nova publicação é só uma questão de esperar pela próxima surpresa. Depois dos discos, o destaque cabe agora à imprensa portuguesa e ao florescimento do "fenómeno" por esse mundo fora. O conjunto de fac-símiles aqui incluídos incide em matéria leve e dita sensacional que revistas como a "Flama", "O Século Ilustrado", "Plateia" ou a "R&T Rádio Televisão" publicaram na época e que reflectem, quase sempre, um jornalismo acrítico mas também limitado por uma censura activa. Na edição da "Flama" de 28 de Agosto de 1964 (pag. 21), por exemplo, que na capa escreve "Os Beatles: Gente que faz pensar", recolhem-se no interior um conjunto de testemunhos curiosos e, certamente, controlados de alguns jovens estudantes e profissionais e onde um tal Armando Marques Ferreira, produtor radiofónico, conclui que "como pessoas e como artistas os "Beatles" reflectem o mais lamentável sector da época que atravessamos"! O padre João Cabeçadas, por seu turno, sobre esses "meninos ingleses, que já não se distinguem das meninas", afere, entre outras suposições, que "Não podemos julgar os nossos jovens por algumas centenas de meninos e meninas que se deixam arrastar por essa nova vaga". Está dito... e escrito! A imprensa, não fugindo à regra, preferiu a insistência no fait-divers à volta das namoradas, das mulheres, dos divórcios, das férias (como as Paul McCartney no Algarve em 1968), das fortunas e até um inacreditável artigo titulado "Os Beatles Conversam Com os Mortos" (pág. 109) onde se dá conta das conversas "espíritas" dos Fab Four com Brian Epstein falecido em Agosto de 1967 ("O Século Ilustrado" de 13 de Dezembro de 1969). Maldita cocaína! Não faltam, contudo, exemplos de bons artigos, ditos "mais sérios", sobre o importante - a música - como são o caso de "Beatles: Retrocesso ou Progresso?" assinado por Rui Manuel Pedroso Neves no "Século Ilustrado" de 4 de Janeiro de 1969 e a resenha certeira "The Beatles: recapitulação necessária ou quatro cabeça uma década" da autoria de Jorge Letria na revista "Diapasão" de Janeiro de 1972 onde profeticamente se atesta: "A influência desenvolvida pelos quatro Beatles na juventude da última década, é de certeza tão importante como assumida a um nível tecnológico pelas experiências espaciais. Quem duvidar que olhe bem para trás e responda então.". Ficamos, ansiosamente, à espera de um novo volume...     

3X20 ABRIL












segunda-feira, 14 de abril de 2014

BILL CALLAHAN EM SERÃO DE ALGIBEIRA













Entre as inúmeras propostas alternativas que a La Blogothéque oferece hoje em dia destaca-se a parceria com o canal Arte nomeada "Soirée de Poche". A ideia é ocupar um qualquer apartamento parisiense onde o anfitrião se junta a uma restrita plateia de sortudos para um concerto íntimo de um músico ou cantautor e por onde já passaram, por exemplo, Mac DeMarco, Jacco Gardner ou Angel Olsen! O último, o #39, gravado no passado dia 10 de Abril, diz respeito a Bill Callahan que, ao longo de meia-hora e em cinco canções, nos deixa roídos de inveja...  É só carregar e fechar os olhos!  

COURTNEY BARNETT DE SECRETÁRIA

FLEETWOOD MAC SOLO, COM COBERTURA





















Entre as centenas de edições do Record Store Day do próximo sábado haverá um split single muito especial com duas versões de canções de membros a solo dos Fleetwood Mac. Assim, num dos lados da rodela estará o clássico "Trouble" de Lindsey Buckingham interpretado por Josh Rouse e no outro "Sentimental Lady" de Bob Welch pela mão dos The Autumn Defense, banda paralela de John Stirratt e Pat Sansone, respectivamente o baixista e um dos guitarristas dos grandes Wilco e que recentemente editaram o magnífico "Fifth", o quinto disco em nome próprio. Aqui deixamos uma das covers e um dos originais para aguçar o apetite...    



sábado, 12 de abril de 2014

NOBODY FEELS OLD AT THE MUSEUM...

Podia a canção ter mais de quarenta anos, podia ter saído de uma isolada mansão no countryside inglês, podia estar escondida a fechar uma qualquer colectânea de folk, podia até ter sido tocada, sem que ninguém notasse, numa madrugada de um bar do Soho. Podia... Mas esta maravilha que fala de museus e jardins de inverno é do nosso tempo e de todos os tempos, foi escrita pela menina Hollie Fullbrook aka Tiny Ruins lá para os lados de Auckland na Nova Zelândia e o lamiré certeiro do amigo HugTheDj dá nisto - não há, por estes dias, manhã ou fim de noite sem esta boa dose de melancolia!      



sexta-feira, 11 de abril de 2014

SER DJ, O QUE É?

A propósito do hilariante video abaixo (reparem bem nas legendas/comentários) o The Guardian regressa à eterna questão do que é ser Dj por estes dias. Conclui o seguinte: "A good DJ is the medium rather than the message – and if the message is strong enough, it's OK to just press play." Será?
 

quinta-feira, 10 de abril de 2014

ORCAS, O ESPLENDOR POP





















Se em 2012 o disco de estreia dos Orcas era já uma enorme contemplação sonora, o segundo agora editado está a caminho da adoração eterna. O duo norte-americano formado por Rafael Anton Irisarri e pelo irrequieto Thomas Melush, ou seja, Benoît Pioulard, regressa com "Yearling" onde, ao lado de Martyn Heyne dos Efterklang e Michael Lerner dos Telekenesis, apresentam uma brilhante lição de magia pop e bom gosto refinado. Um dos álbuns do ano, sem dúvida!   



quarta-feira, 9 de abril de 2014

JOHNNY CASH, HOMENAGEM EM FILME


O disco perdido "Out Among the Stars" de Johnny Cash editado em Março é o guião principal de um filme de pouco mais de quinze minutos promovido pela impoluta La Blogothéque no deserto da Califórnia e para onde foram convocados Brandon Flowers, Father John Misty (foto) e os Local Natives. Comentam-se influências, tocam-se covers ("I Came to Believe", "Baby Ride Easy" e "Out Among the Stars") e fica-se a gostar ainda mais do "homem de preto"...   

segunda-feira, 7 de abril de 2014

CIRCUIT DES YEUX EM GUIMARÃES















Antes do fabuloso concerto de Bill Callahan na Casa da Música em Fevereiro passado subiu ao palco a menina Haley Fohr que se esconde atrás do nome Circuit des Yeux. Um pouco mais de meia hora permitiu aferir a grandeza da voz e a fragilidade e intimidade de uma música praticamente desconhecida para a maioria das grandes plateias. A experiência, contada em nome próprio, valeu-lhe alguns sustos mas encorajaram-na a arriscar uma nova digressão pelo velho continente que chegará a Guimarães já no dia 16 de Maio, passando no dia a seguir pela Zé dos Bois de Lisboa onde terá a companhia de Sir Richard Bishop. Esperamos, obviamente, comparecer!

domingo, 6 de abril de 2014

MATTHEW E. WHITE, Centro de Arte de Ovar, 5 de Abril de 2014

Há em "Big Inner", o álbum de estreia do norte-americano Matthew E. White, muito por onde escolher para nos seduzir. Como tiro de partida, o tal "beginner", devia ser mesmo um exemplo a seguir por muitos dos que pretendem vingar no mundo conturbado da música pelo caminho mais estreito - a qualidade. Para a medir convenientemente, basta ouvir com atenção a maioria das canções lustrosas que White construiu e gravou, uma amálgama gloriosa de soul e funk de arranjos magistrais que purificam mesmo os ouvidos mais exigentes. Mudar o registo para uma simples guitarra e voz é, assim, um "jogo de risco" paras os dois lados da "contenda" - o público conhecedor das tais canções e o próprio artista. Esta foi, aliás, a segunda vez que White o fez (a primeira, a estreia, tinha sido no concerto de véspera em Lisboa) mas ninguém pode ter razões de queixa. Pelo domínio da guitarra, pela voz potente e quente, pela simpatia e entrega, a noite foi de confirmação de um talento em bruto com uma "margem de progressão" inimaginável. Aqui ficam, para o provar, dois grandes exemplos!    



sexta-feira, 4 de abril de 2014

UAUU #192

PVC - PORTO VINIL CIRCUITO #4





















A Rua de Cedofeita era, em modo "roteiro de vinil", sinónimo de Jo Jo's. Instalada inicialmente no Centro Comercial situado ao fundo da rua para quem vêm da Praça Carlos Alberto e transferida, mais recentemente, para um pouco mais à frente, a Jo Jo's foi sempre uma referência para melómanos dependentes. No caminho de volta, percorrer a rua era uma oportunidade para uma olhadela às montras de outras casas de discos mas onde raramente entramos. A Sanky era um desses casos e, do que recordamos, só lá compramos um disco - o "Boy" dos U2 - porque a edição portuguesa estava na altura esgotada por todo o lado e trouxemos o que estava pendurado no escaparate! A dono da Sanky haveria de comprar a Melodia da Rua 31 de Janeiro e para lá se transferiu em meados da segunda metade da década de oitenta. Hoje, entalada entre duas casa de fotografia encerradas, o que é, por si só, mais um sinal dos tempos digitais, o local é uma loja de roupa e vestuário, dos poucos negócios ainda com alguma vitalidade pela baixa portuense...       

Discoteca Sanky, Rua de Cedofeita, 95, Porto

quinta-feira, 3 de abril de 2014

UM MUSEU, DUAS RARIDADES!














Há praticamente um mês, uma noite de encantamento pela cidade de Vigo confirmou todo o talento de Damien Jurado e a descoberta de uma senhora, melhor, menina voz de nome Courtney Marie Andrews. Pois bem, a mesma dupla esteve recentemente pelo atractivo The Andy Warhol Museum em Pittsburg na Pensilvânia onde gravou, separadamente, duas pequenas sessões acústicas promovidas pelo museu no seu próprio estúdio - o Silver Studio - uma ideia e prática que gostávamos de ver copiada cá pelos nossos lados...     



VINIL, PORQUÊ?

Já todos sabemos a resposta, todos podemos juntar argumentos e todos continuamos eternamente viciados. VINYL RULES! 

"Someone was trying to tell me that CDs are better than vinyl because they don't have any surface noise… I said, listen, mate, LIFE has surface noise" - John Peel

"On April 19th, Record Store Day, Jack White will record the World’s Fastest Released Record, studio-to-store, in the history of mankind. Jack will take the stage at 10am in Third Man Records' blue room for a full performance and to record a limited edition version of his official single, title track "Lazaretto," direct-to-acetate. The masters will be rushed over to United Record Pressing, who will immediately begin pressing 45s, and then the finished records will be whisked back to Third Man to sell to awaiting fans.
An extremely limited number of "Ultra Tickets," which includes admission to Jack and Whirlwind Heat's shows (yes, they will be playing too), plus copies of both The World's Fastest Released Record 7" and Whirlwind Heat's Do Rabbits Wonder? Colored Vinyl RSD Reissue LP, will be available exclusively through the Third Man Records Vault to Platinum Members only starting at 3pm CT TODAY. For those who can’t score tickets, The World’s Fastest Record will be made available for sale from the Third Man Records Nashville storefront on Record Store Day ONLY as soon as copies are pressed." 

quarta-feira, 2 de abril de 2014

UAUU #191

ELLIOTT SMITH, O FILME

A trágica vida de Elliot Smith (1969-2003) será finalmente retratada através de um filme com estreia marcada para 5 de Maio no Festival de San Francisco, EUA. Intitulado "Heaven Adores You", o documentário percorre três cidades - Portland, Nova Iorque e Los Angeles - onde o músico viveu e apresenta, entre canções e fotografias inéditas, uma série de testemunhos dos seus principais amigos e colaboradores, incluindo o da sua irmã Ashley Smith. Contrariamente a "Searching For Eliott Smith", tentativa bem intencionada mas não oficial publicada em 2009, o novo documento recebeu autorização formal para a produção através de uma campanha bem sucedida iniciada em 2011 via Kickstarter e tem já futuras estreias agendadas por outros festivais norte-americanos.    


terça-feira, 1 de abril de 2014

FAROL #112











Numa semana que marca o regresso de Cícero ao norte do país para dois concertos (sexta em Guimarães e sábado no Passos Manuel), aproveitem para descobrir a dupla de álbuns auto-produzidos e registados por este talento da nova MPB. É só carregar... legal(mente)!