terça-feira, 29 de setembro de 2015

CLEMENTINE CONFIRMADO!














É oficial: Benjamin Clementine dia 25 de Novembro na Casa da Música.
Bilheteira já está a funcionar...

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

LUBOMYR MELNYK CRISTALINO!





















Música em estado puro é o que Lubomyr Melnyk promete no seu novo álbum "Rivers and Streams" a editar em Novembro pela Erased Tapes Records. Dedicado à água, "a mais rara das coisas físicas no universo" segundo o próprio, esperam-se seis novos temas registados em igrejas e em estúdio onde se destaca "The Amazon", peça de vinte minutos que homenageia o maior rio do mundo. Na capa surge uma macro-fotografia de Marion Benoit que Melnyk aponta como o perfeito artista visual. Tudo cristalino e, nos tempos que correm, milagroso!

domingo, 20 de setembro de 2015

WILCO, SETE GRANDES POLEGADAS




















Antecipando o lançamento do álbum "Star Wars" em versão de vinil, os Wilco pegaram numa das grandes canções do disco - "Random Name Generator" - e elegeram-na, merecidamente, para um vistoso single de vinil de cor verde e capa a condizer. A sua editora dBpm Records já aceita encomendas. No lado B estará uma versão acústica de "Bull Back Nova" gravada no Solid Sound Festival de Junho, evento que os Wilco orgulhosamente promovem em Massachusetts desde 2010.



sexta-feira, 18 de setembro de 2015

OLÁ INOCÊNCIA!



















Os The Innocence Mission do casal Keren e Don Peris são motivo de culto aqui na casa há quase duas décadas, um gosto já devidamente (ou não) justificado nestas páginas a cada disco editado. Há agora mais um chamado "Hello I Feel the Same" com saída prometida para Outubro na Korda Records, um género de cooperativa de amigos em gestão solidária. Há ainda uma versão em translúcido vinil verde a que se juntam, como sempre, uma capa de desenho bonito e aquelas canções que continuam a apertar-nos a garganta. Como esta...        


UAUU #280

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

TAMBÉM QUERO!














Se por esse lado há por aí miúdos que gostam de música e de discos de vinil, ora aqui está uma prendinha atraente. Se por acaso não há miúdos, não faz mal que goodies deste nível não têm idade. É a que a Light In The Attic de Seattle decidiu lançar uma compilação para crianças intitulada "This Record Belongs To _________"  sem boys ou girl bands, dinossauros ou princesas, mas sim com dois lados bem distintos de música, da boa: um para animar brincadeiras durante o dia e o outro para acelerar o sono e libertar "borboletas" ao anoitecer. Há, entre outras, canções antigas de Vashti Bunyan, Harry Nilsson, Donovan, Nina Simone e, claro, o Sapo Cocas acompanhadas por um livro ilustrado por Jess Rotter que desvenda afinal como pôr um estranho disco de vinil a tocar. Para que tudo isto funcione juntou-se ao processo a Third Man Records que, habituada a construir gira-discos atraentes, se apressou a conceber um turntable portátil com a ajuda da Jensen que incorpora altifalantes e entrada USB para conversão digital a partir de três velocidades (!) de rpm, tudo numa leve mala vintage decorada com o Manny, a mascote da casa de Jack White. Aceitam-se encomendas ao pai Natal!      



terça-feira, 15 de setembro de 2015

BENJAMIN CLEMENTINE EM AVEIRO... PELO MENOS!











Faltava este! Atendendo ao volume e qualidade dos concertos por perto no último trimestre do ano, saber hoje que Benjamin Clementine tem espectáculo marcado para o Teatro Aveirense dia 24 de Novembro, terça-feira, só pode ser mesmo milagre azarado - os Beach House tocam nesse dia no Teatro Sá da Bandeira! Atendendo ainda a que na sexta ou sábado dessa semana há concerto confirmado no Mexefest lisboeta, há aqui dois dias "em branco" em que às tantas ele ainda chega mais a norte...  

Actualização, 17 de Setembro: como suspirado acima, sabemos que eles sabem que nós sabemos que o Benjamin Clementine sabe que tem concerto marcado para a Casa da Música no dia 25 de Novembro!
  

UAUU #279

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

3X20 SETEMBRO












DANIEL KNOX, Salão Brazil, Coimbra, 12 de Setembro de 2015


















O molho de papéis brancos fazia-se notar à distância. Daniel Knox colocou-os na estante do piano, sentou-se no banco e preparou-se para fazer com que o maço fosse, pouco a pouco, diminuindo. Nessas folhas estão letras das suas canções, pedaços de vida que, mal terminam, são imediatamente amarrotados e atirados para as suas costas. Cada gesto vigoroso pareceu um alívio, um suspiro partilhado com a audiência em jeito de prefácio, justificando ou não a história que vamos ouvir: pode ser sobre a sua primeira erecção, acidentes de carro registados em video ou, muitas vezes, amores e desamores que uma separação recente (?) torna mais viperino e mordaz... A nós, ali tão perto, absortos pela voz e piano que ecoaram no escuro da sala, restou-nos agradecer a partilha e a intimidade ao longo de duas horas sombrias tão misteriosamente saborosas, tonificadas por uma ténue luz vermelha e uma janela amarelada. Excelente! 

(super-fotos em Luzimentos) 

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

JESSICA PRATT, SOMOS TODOS BRACARENSES!













Já havia a confirmação do concerto lisboeta e seria possível adivinhar (rezar!) por um concerto a norte. Ele aí está - Jessica Pratt dia 26 de Outubro no GNRation de Braga, para limpar pecados e esconjurar a alma mesmo que não seja preciso entrar numa igreja...  

NO RASTO DE ERIN MORAN













Onde estás, Eddy? Fizemos a pergunta há já cinco anos mas a resposta sobre o paradeiro da americana Erin Moran, autora em 2004 de um álbum mítico sob o nome de A Girl Called Eddy, é ainda nebulosa. Mais de dez anos depois, esse disco continua a ter uma legião de fãs dependentes na qual nos incluímos sem restrições e sempre na expectativa que, milagrosamente, algo de novo aconteça. Assim, voltamos à carga e retomamos, na medida do possível, o seu rasto através da rede. Isto foi o que encontramos.

O anunciado álbum de regresso agendado para 2009 que recebeu até o título de "You Get The Legs You're Given" era afinal só isso, um nome sem conteúdo para manter o interesse mediático. A confissão surge num primeiro grande trabalho de investigação, a que se junta uma entrevista, publicado em Abril de 2014 pelo site The Recoup, uma netzine eclética que aí apresenta, pela pena de Joseph Kyle, uma notável série de factos na primeira pessoa: a ligação musical a Richard Hawley, a assinatura tremida pela Anti-Records, as euforias, desilusões e frustrações próprias de quem se aventura no mundo da música, mas também confirma uma vida em pleno, gravando canções ou ocupando estúdios sem pressões contratuais.

Uma dessas revelações refere-se à sua inusitada participação no recente filme "Jingle Bell Rocks", que já por aqui demos nota, uma espécie de documentário sobre coleccionadores de discos natalícios. O seu realizador, Mitchell Kezin, apaixonado pelo tema de Nat King Cole "The Little Boy That Santa Claus Forgot" e sabendo que Erin o tinha magistralmente gravado para uma compilação da revista Mojo de Janeiro de 2004, convidou-a a realizar uma perninha na película onde, ao que parece, o interpreta ao vivo. A versão disponível refere-se, no entanto, a uma outra compilação mais tardia - "A Very Joma Christmas" (2009) - onde se misturava com alguns nomes quase desconhecidos do indie rock



Ainda no capítulo das versões e respondendo novamente a um apelo da Mojo, não pode passar despercebida outra excelente cover, desta vez do tema "Julia" de Lennon incluído no "White Álbum" e que aquela publicação decidiu homenagear em 2008. Erin fechava, então, o primeiro disco com esta delícia...



Na referida história de vida percebe-se que a artista, contrariando a reclusão, tem participado em discos, canções ou projectos de diversos quadrantes. Foi assim fazendo backing vocals para o tema "Brandy Alexander" que Ron Sexsmith escreveu a meias com Feist e que ambos gravaram em discos separados, aparecendo creditada dessa forma em "Exit Strategy Of The Soul", disco do canadiano de 2008. Mais recentemente respondeu a, pelo menos, mais dois convites para fazer ouvir a sua inconfundível voz: no tema "Novemberlong" do colectivo nova-iorquino Gramercy Arms incluído no álbum "The Seasons of Love" de 2014 e da qual há uma versão ao vivo sem, contudo, a sua participação e em "Don't Ever Say", canção de 2015 de uns tais Liam McKahey and the Bodies, banda do vocalista dos saudosos Costeau com quem Erin já se tinha cruzado em 2001 numa das suas primeiras actuações ao vivo!





As lacunas documentais, em tempos de digitais, continuam, mesmo assim, confrangedoras. Não existem registos videos de actuações ao vivo ou sessões de rádio, apesar da circulação limitada e obscura da sua passagem pelo programa de Tom Robinson da BBC continuar a estar "enterrada" online. A única boa notícia é mesmo a reedição já deste ano do disco em versão de vinil que há muito sonhávamos e que as marcas da própria capa original tão bem sugeria. Para que A Girl Called Eddy não continue a ser na net um site duvidoso, só mesmo um outro disco de originais que, aparentemente, Erin não tem pressa nem vontade de gravar. No fundo, talvez seja melhor assim. Nada como recordar essas canções já decanas como estes maravilhosos lados B de singles que, em boa hora, fãs devotados continuam a "plantar" na rede à espera de frutos...       




quinta-feira, 10 de setembro de 2015

KEVIN MORBY E A INVICTA!





















Em Junho passado, antes ou depois do fabuloso concerto do Primavera Sound Porto, Kevin Morby passeou pelas ruas de Gaia e do Porto para uma reportagem da própria Pitchfork explicando, por exemplo, como escreveu a (nova) canção "Bridge to Gaia" que está no lado B de um single de vinil entretanto editado a semana passada com "Moonshiner", outro tema inédito. Um "must have" obrigatório e um artista que, atendendo ao amor pelo Porto, tem regresso assegurado!



TAME IMPALA, DJ'S A MAIS?

Os Soulwax/2 Many Dj's dos irmãos Dewaele sempre gostaram de desafios difíceis e este era, nitidamente, um deles. Dir-se-ia que os oito minutos perfeitos de "Let It Happen" dos Tame Impala, uma das canções do ano, não precisava de mexidas, mas aqui fica o resultado do atrevimento... 

MARTIN COURTNEY, PÃOSINHO QUENTE!





















Para quem tem nos Real Estate uma daquelas preciosidades infalíveis do indie rock americano, qualquer disco a solo ou paralelo dos dois principais mentores é sempre motivo de regozijo. É assim com Matt Mondanile e os seus apetitosos Ducktails, passará a ser assim, de olhos fechados, com o primeiro álbum a solo de Martin Courtney chamado "Many Moons" com selo da Domino Records. Basta ouvir estes dois "pãesinhos" gravados na companhia de gente dos Woods ao longo do último ano e meio para lhes "barrar manteiga" muitas vezes! E que regressem ao Porto sem demoras...  




quarta-feira, 9 de setembro de 2015

ROBERT FORSTER, SETE ANOS DEPOIS!





















Fundador dos Go-Betweens, facto nada desprezível atendendo à grandeza da banda australiana, Robert Forster esteve sete anos sem gravar qualquer disco depois de "The Evangelist", álbum maior da sua carreira a solo. Certo é que nunca lhe faltou que fazer: crítica musical reunida, aliás, num livro a ler chamado "The Ten Rules of Rock and Roll: Collected Music Writings-2005-11", curadoria de "G Stands For Go Betweens Vol 1", enorme compilação da obra editada em caixa em 2011 e também a produção de grupos de Brisbane, cidade de infância e de inspiração artística. Foi precisamente por aí que, com a ajuda de uma dessas bandas amigas (os The John Steel Singers), continuou a escrever e a registar demos de canções, muitas, que agora tem magistral selecção concretizada em "Songs To Play", álbum a sair para semana na Tapete Records alemã. Prometida está uma digressão em solo europeu lá para o fim do ano e se não quiserem esperar, há já um primeiro single ali em baixo para testar ou então uma antecipada e saborosa audição das 10 peças de colecção no site do The Guardian.
     


segunda-feira, 7 de setembro de 2015

UAUU #278

HAWTHORNE, O FAZ TUDO!

Enquanto a validade do projecto Tuxedo que juntou Mayer Hawthorne a Jake One continua a fazer efeito por estes dias calorentos - o disco tem aquela irresistível e bem disposta vibe Earth, Wind & Fire - o irrequieto Hawthorne teve tempo para vasculhar nos arquivos e pôr cá fora um inédito de 2011 gravado aquando das sessões para o álbum "How Do You Do". Chama-se "Handy Man", tem edição exclusiva numa pen USB de 250 exemplares em forma de martelo e só esperamos que o verão seja longo...      


DUETOS IMPROVÁVEIS #194

ANNA CALVI & PATRICK WOLF
A Kiss To Your Twin (Calvi)
Ao vivo na Igreja de St. John, Hackney, Londres
13 de Dezembro de 2014

domingo, 6 de setembro de 2015

ANGEL OLSEN, Festival Manta, CC Vila Flor, Guimarães, 5 de Setembro de 2015
















Em nítida ascensão mediática, muito à custa da abençoada persistência em construir canções que nos agarram ao mundo, a vinda de Angel Olsen com a sua banda a Guimarães serviu para confirmar, pelo menos, duas coisas: a menina tem já um património sonoro de alto calibre que permite concertos e momentos intensos e, talvez mais importante, há por aqui uma imprevisível dose de talento que vai continuar a fazer estragos, dos bons. O muito público que compareceu em massa, atraído certamente por tamanha estrela cadente, deu-se à conquista de forma célere e emotiva, embora haja sempre nestes eventos gratuitos razões de queixa daqueles que, alheando-se do respeito por quem está em palco, aproveite para pôr a conversa em dia tal como se estivessem numa esplanada de praia... Nada que, sem grande esforço e alguma timidez, a profundidade sincera da artista facilmente fez esquecer. Bastava "aquele" fogo branco, sozinha em palco, para que o momento se tornasse já inesquecível. 
            


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

VINIL: UM ESTUDO DE MERCADO















Um notável artigo na Stereogum sobre o mercado dos discos de vinil. 
Exagero? Nada como uma olhadela...

ARNALDS FRAHM & Cª ILUMINADA!



















A sociedade que juntou Ólafur Arnalds e Nils Frahm foi "fundada" oficialmente em 2012 com a edição de "Stare", um 10" de vinil para o Record Store Day desse ano. Uniram-se, assim, dois talentosos espíritos a partir de um clássico piano mas a que se acrescentam sonoridades obtidas com um Oberheim 4 Voice ou o indispensável Korg PS3100, bem presentes, aliás, em "Loon", o pedaço seguinte em jeito de EP gravado o ano passado no estúdio berlinense de Frahm. Contudo, a surpresa, como a classifica a brilhante editora Erased Tapes, é a saída de um 7" de vinil com dois temas/pérolas - "Live Story" e "Love And Glory" - já à venda em algumas das melhores lojas de discos inglesas e alemãs e que resultaram de mais uma noite de improvisações berlinenses datadas de Outubro de 2012, um serão longo antes de uma digressão que na altura marcava o 5º aniversário da editora comum. Esta cumplicidade, que tem agora site próprio, voltou a dar frutos suculentos - em Julho, no mesmo local e cidade, a dupla improvisadora passou mais de 8 horas seguidas em frente às teclas e restante parafernália e o resultado pode ser parcialmente admirado num documento filmado pelo amigo Alexander Schneider. Tudo uma verdadeira e iluminada maravilha!  

PS: Frahm escolheu 20 temas do seu ecléctico gosto que estão agora reunidos em mais um disco da série Late Night Tales. Certamente apetecível.  




quinta-feira, 3 de setembro de 2015

UAUU #277

VASHTI BUNYAN, CONFIRMADO!















É só para confirmar que o concerto de Vashti Bunyan na companhia de Gareth Dickson no Porto está definitivamente marcado para o próximo dia 31 de Outubro, sábado, na Culturgest da Avenida dos Aliados. Bilhetes comprados!

DANIEL KNOX, LEMBRETE!





















É só para lembrar que o americano Daniel Knox, um dos mestres da música contemporânea inspirado e rodeado de amigos e admiradores que vão de David Lynch, a Rufus Wainwright ou Jarvis Cocker, vai apresentar-se em concerto já no próximo dia 12 de Setembro, Sábado, no Salão Brazil de Coimbra. É só para lembrar... apesar da D'Bandada!







quarta-feira, 2 de setembro de 2015

SCOTT MATTHEWS PARA LEVAR PARA CASA!













Temos pelo inglês Scott Matthews uma admirável paixão. Discos e canções invejáveis, uma postura calma, serena e paciente, fazem dele um daqueles tesouros que queremos ouvir a (en)cantar só para nós. Este ano Matthews gravou mais um grande disco, o quarto, chamou-lhe "Home Part1" e, como se depreende, registou-o no seu estúdio caseiro algures no countryside britânico. Entre os poucos concertos que o promoveram, um deles foi eleito para edição em Dvd  - na igreja de St. George de Brighton em Fevereiro passado com a ajuda de três músicos registaram-se, então, algumas das canções desse e doutros discos que aguardam entretanto produção e acabamento para publicação via plataforma solidária Pledgemusic. Entre os teasers e promos entretanto surgidos e que aqui deixamos (vá lá, toca a ajudar!), há um "encantamento" bónus imperdível ali em baixo: Matthews sentado à porta do estúdio a cantar o "Let's Get You Home"... precisamente. Parece fácil! 







UAUU #276