sexta-feira, 28 de setembro de 2007

DUETOS IMPROVÁVEIS #15
NEIL HANNON & CHARLOTTE GAINSBURG

The song that we sing
Programa Taratata, 13 Outubro 2006, TV 2, França

quarta-feira, 26 de setembro de 2007


WISHING...
Já aqui fizemos referências elogiosas a Jeff Tweedy e aos seus magníficos Wilco, principalmente o último álbum “Sky Blue Sky”. Canções como “What a light”, “Impossible Germany”, “Either way” são só algumas das pérolas inesqueciveis e que gostaríamos muito, mesmo muito, de ouvir ao vivo. Pois bem, os Wilco irão estar no início de Novembro por terras de Espanha, incluindo Bilbao, aqui bem perto. Era só para lembrar aos responsáveis do Festival Para Gente Sentada de Vila da Feira que esta era, por todas as razões, uma aposta ganha. Já agora quando é que é o Festival?
Wilco - What Light

terça-feira, 25 de setembro de 2007


VAMOS LÁ VER SE É DESTA...
O colectivo francês Nouvelle Vague tem concerto marcado para o Porto no dia 6 de Dezembro no Teatro Sá da Bandeira. Como nas outras duas oportunidades que estiveram na cidade só vimos, por culpa própria, entre 5 a 10 minutos das suas actuações, vamos lá ver se é desta vez que conseguimos apreciar devidamente o conjunto de versões notáveis, cantadas no feminino, de hits dos oitenta. Entretanto, e depois da selecção feita para ”Late Night Tales”, o mentor do grupo, Marc Collin, decidiu compilar num cd duplo chamado “Nouvelle Vague Presents New Wave” uma série de versões, algumas obscuras outras bem conhecidas, de temas diversos inspiradores da banda, mas de cheirinho electropop. A ouvir...
Nouvelle Vague ft Moby - Just Can't Get Enough (Live)

CLÁSSICO #12
THE POLICE - Message in a Bottle
Não podíamos deixar passar despercebida a passagem da polícia por Portugal. A primeira música que nos chegou ou ouvido foi certamente “Message in a Bottle”. Estaríamos para aí em 1980 e os bailaricos de turma no Rainha Santa nos anos seguintes não dispensavam a sua passagem entre o “Enola Gay” e o “Back in Black” dos eternos AC/DC... O single vinil está lá no meio de outros tantos mas não foi comprado na altura. Aliás, os Police sempre nos passaram um bocadinho ao lado e, muito sinceramente, não prestamos atenção nenhuma ao concerto de Lisboa em 1980, tal como agora nos causa indiferença o de hoje. Preferimos ficar com aquele gostinho bom sobre um grupo com grandes temas (Walking on the Moon, Roxanne, Do do do, da da da, etc.) mas do qual, via carreira a solo de Sting, nos distanciamos estrategicamente
!

AS LENDAS DO QUARTETO 1111
Já saiu o livro da autoria do jornalista António Pires (Blitz, Sete) sobre a verdadeira lenda do rock português que foi o Quarteto 1111. José Cid, Michel Silveira, To Zé Brito e Mike Sergeant contam a sua versão pessoalizada de uma história fascinante e, certamente, fantástica. O grupo surgiu há 40 anos e o trajecto incluiu perseguição pela censura, passagem pelo Festival da Canção e Vilar de Mouros, gravações com Frei Hermano da Câmara e elogios e referências internacionais. É todo este percurso que António Pires, também um blogger bem interessante, faz o favor de nos recordar. Mal podemos esperar para lhe deitar os olhos...

segunda-feira, 24 de setembro de 2007


LUNARIDADES #25

. sábado à tarde na Rua Miguel Bombarda em mais uma Festa das Artes plena de gente e as ruas continuam ocupadas e percorridas por carros e mais carros! Não será possível, pelo menos, nesse dia o trânsito ser só permitido a peões, bicicletas ou de patins? Será assim tão difícil pereceber as potencialidaes do espaço público e a tão aclamada animação das ruas?

. notoriamente os artistas portugueses estão mais corajosos e certeiros. Depois de JP Simões incluir no seu disco uma magnífica versão de “Inquietação” de José Mário Branco, surge agora David Fonseca que, sem preconceitos, apresenta no seu novo disco, nada mais nada menos, que uma cover de “Rocket man” de Elton John! Ainda bem que a mania de assassinar músicas parece ter acabado, tipo os Delfins a fazer aquela horrivel versão em português de “Everybody Knows except you” dos Divine Comedy...

. por falar em artistas portugueses, já reparam que o novo disco de Jorge Palma chamado “Voo Nocturno” tem uma musiquinha chamada “Gaivota dos Alteirinhos” numa referência à praia alentejana onde custuma passar férias... Ele, nós e mais alguns!

. Monthy Piton em português? Só de pensar dá-nos arrepios. Pois é, mas alguém teve a coragem (lata?) de o fazer... A peça chama-se “Os Melhores Sketches dos Monty Piton”, foi adaptado por Nuno Markl e os actores são António Feio, Bruno Nogueira, José Pedro Gomes, Jorge Mourato e Miguel Guilherme. Para além de arriscado parece-nos demasiado pretencioso. Bright side of life - o lado fixe da vida? Quem sabe...

. já (re)descobrimos a terapia certa para o risco de depressão. Pegar nas caixas de singles de vinil e, um atrás do outro, acertar estilos, memórias, recordações, sem stress e na medida certa. As horas e as preocupações passam num instante!

MÚSICA À MEDIDA!
Já todos passamos pela sensação de escutar uma música cujo ambiente, letra e ritmo se adequam na perfeição a um ente querido e até a nós próprios ou a algum momento da nossa vida. Pensando nesta situação (será?), uma empresa canadiana convenientemente chamada Tailored Music disponibiliza online um serviço de encomenda de músicas personalizadas, feitas por medida segundo os nossos gostos e rigorosamente (!) exclusivas. Depois o mp3 chega por email ou num cd gravado à nossa caixa de correio. Segundo o suplemento Digital do Público de sexta feira passada, a empresa tem engenheiros, letristas, músicos e compositores exclusivos prontos a satisfazer o mais rebuscados dos pedidos a troco de 100 dólores!
Oh por favor, era uma músiquinha acústica, com as palavras miss you e kiss you, mais umas pitadas de violinos e uma leve bateria. Ah e já agora pode demorar 5 minutos e de preferência com uma voz tipo Barry White!
Está tudo doido ou não...
FAROL #34
Os Smashing Pumpkins nem sempre foram descartáveis. A música inicial era fresca e realmente consistente, nos dias em que Billy Corgan ainda tinha cabelo! Nesse tempo (1989) a banda vendia cassetes nos seus concertos na procura incessante de um contrato discográfico. Essas gravações reunem-se num disco chamado "May we have a record contract, please" e referem-se, obviamente, a demo-tapes da era pré "Gish" o seu primeiro álbum. Sirvam-se...

sexta-feira, 21 de setembro de 2007


SUGESTÕES…
Não podemos deixar em branco a passagem de duas boas bandas que se apresentam ao vivo a
manhã à noite e que nos esquecemos no nosso Quadro Eléctrico:
- a fabulosa Alice Russell regressa a Portugal mais concretamente à discoteca Vinyl em Coimbra. Funk e soul do melhor, tudo envolto numa voz potente;
- o Theatro Circo em Braga recebe os alemães M. John Soda, banda previamente agendada mas que por diversos motivos só amanhã passa por lá.

Ainda não decidimos é qual deles é que vamos tentar ir ver...
DUETOS IMPROVÁVEIS #14
DAVID BOWIE & ROBERT SMITH
Quicksand
Concerto “50 anos de Bowie”, Madison Square Garden
Nova Iorque, Janeiro 1997


NOVAS DO RAPAZ
Enquanto aguardamos pela edição prometida em DVD, mas até hoje não concretizada, de “A Skin Too Few”, o filme sobre Nick Drake, surgem mais duas peças para juntar à colecção.
Assim, foi editado no dia 17 de Setembro em Inglaterra um DVD chamado “Nick Drake Under Review” que pela
sinopse não apresenta grandes novidades para além das habituais entrevistas, fotografias e curiosidades. É bem vindo na mesma!

Em Dezembro proximo será finalmente editado o livrinho sobre o disco “Pink Moon” na fabulosa colecção 33 1/3 da editora Continuum. A autora, Amanda Petrusich, entregou o manuscrito (!) em Agosto passado que, pela amostra disponibilizada, nos aguça a curiosidade.
Ou seja, longe vão os tempos em que Nick Drake era sinónimo da eterna pergunta "Quem?". Dá-nos um gostinho especial entrar numa FNAC no Porto e ter em destaque e em diversos postos de escuta o novo "Family Tree" para consumo facilitado e acessível. Quem diria...

quinta-feira, 20 de setembro de 2007


JOSH ROUSE EP
O muito cá de casa Josh Rouse decidiu incluir em algumas edições do seu novo álbum Country Mouse, City House um pequeno EP de nove temas com demos e gravações esquecidas. O disquinho chama-se Country Mouse Companion e vai estar (esperamos..) à venda no concerto de Braga marcado para o próximo dia 27 de Novembro. Entretanto, podem ir espreitando no blog amigo a magnífica set list de um concerto de ontem. Prometedor!
Josh Rouse "Hollywood Bass Player"




(RE) VISTO #10
O MAYOR DE SUNSET STRIP
Dir. George Hickenlooper, Lakeshore International, DVD, Portugal, 2005

A figura de Rodney Bingenheimer, a fazer lembrar um boneco animado e apatetado, é inesquecivel. Ele é de facto uma personagem real acarinhada por inúmeros artistas da história do rock ao longo das últimas quatro décadas. Atraído pelo glamour do mundo da música, ele próprio, desde sempre, quis ser famoso. Cedo, em finais de 60, logo tentou penetrar nos meandros do mundo rock de LA, participando em espectáculos de TV, fazendo castings para shows, acedendo aos backstages dos famosos, dinamizando festas e clubes, envolvendo-se, obviamente, no verdadeiro sex, drugs & rock roll! No documentário surge ao lado de Elvis, de Andy Warhol, dos Beatles, Charles Manson, Jimi Hendrix, os Beach Boys, Mick Jagger, Drew Barrymoore, David Bowie, Sid Vicious, Sonny and Cher e tantos outros. Surpreendente a amizade com Brooke Shields e a rivalidade pacífica com outro cromo, ainda mais apimentado, chamado Kim Fowley. O programa de Rodney na KROQ, uma rádio independente de LA, é já mítico, passando música de grupos em ascenção e chamados de alternativos e onde foram descobertos os Blondie, p.ex. Trata-se de um excelente filme sobre os altos e baixos de uma carreira que, nalguns casos, nos deixa tristes, como a traição de um dos seus principais colaboradores radiofónicos ou a obsessão em cumprir a promessa de espalhar as cinzas da mãe nos mares de Inglaterra. Uma viagem pelo universo da rádio e da música pop, do disco ao punk, do psicadélico ao grunge e que ainda hoje no seu programa apresenta uma set list irrepreensível. Emocionante!

quarta-feira, 19 de setembro de 2007


3 X 20 SETEMBRO
Já é mais Outubro que Setembro, mas aqui ficam, na mesma, as nossas escolhas do mês...

20 canções
. MSTRKRFT – She’s so good for business
. JUSTICE – Dance
. THE PRESETS – Girl and the sea
. CHROMEO – My girl is calling me (a liar)
. BANG GANG – Find what you get
. THE NATIONAL – Guest room
. MEMPHIS – I’ll do whatever you want
. PHOENIX – One time to many
. MALUJABE – Pate filo
. THE POLYPHONIC SPREE – Running away
. THE LADYBUG TRANSISTOR – I’m not mad enough
. MATES OF STATE – Think long
. LAND OF TALK – Summer special
. PAPERCUTS – Dear employee
. AIR – Mer du Japon
. DEVENDRA BANHART – Seahorse
. SAVATH & SAVALAS – Ya verdad
. THE MINOR CANON – Killing spiders
. LAURA VEIRS – Wrecking
. NICK DRAKE – Day is done

20 versões
. FRANK BLACK – Hang on to your ego (Beach Boys)
. BEN FOLDS FIVE – Such great heights (Postal Service)
. MAGIC NUMBERS – Take me out (Franz Ferdinand)
. CALEXICO – Ocean of Noise (Arcade Fire)
. DEE LITE – You sexy thing (Hot Chocolate)
. GRACE JONES – She’s lost control (Joy Divison)
. VIVEK SHRAYA - Seven nation army (White Stripes)
. THE LIBERTINES – Eight days a week (The Beatles)
. FOO FIGHTERS – Keep the car running (Arcade Fire)
. SONDRE LERCHE – Nightingales (Prefab Sprout)
. SANDIE SHAW – I don’t owie anything (The Smiths)
. THE DIVINE COMEDY – Vapour Trail (Ride)
. COLIN MELOY – Every Day is like Sunday (Morrissey)
. BECK – Pink moon (Nick Drake)
. JOSE GONSALEZ – Teardrop (Massive Attack)
. MARK RONSON – Apply some pressure (Maximo Park)
. BEN HARPER – Drugs don’t work (The Verve)
. FEIST - Nothin' In The World Can Stop Me… (Kinks Cover)
. GENE – The ship song (Nick Cave)
. NOUVELLE VAGUE – Heart of glasse (Blondie)

20 remixes
. JUSTICE - D.A.N.C.E. (MSTRKRFT Remix)
. FELIX THE HOUSE CAT - Like Something 4 Porno (Kris Menace remix)
. THE GO! TEAM - Doing it Right (Yo Majesty Remix)
. AMY WINEHOUSE - Tears Dry On Their Own (Al Usher Remix)
. CHROMEO - 100% (Mercurius FM Tenderoni Vinyl Only Mix)
. TINY MASTERS OF TODAY - Hey Mr. DJ (CSS Remix)
. THE CHEMICAL BROTHERS - The Salmon Dance (Herve Remix)
. TRACEY THORN - Grand Canyon (Ada Vocal Remix)
. !!! - Must Be The Moon (Hot Chip remix)
. KINGS OF LEON - My Party (Kenna & Chad Hugo Remix)
. PEACHES - Boys Wanna Be Her (Who Made Who remix)
. INTERPOL - The Heinrich Maneuver (Paul Epworth Phones Remix)
. COLD WAR KIDS - Hang Me Up To Dry (Ingo Star Cruiser Remix)
. MIDNIGHT JUGGERNAUTS - Devil Within (Presets Remix)
. CUT COPY – Hearts on fire (Joakim remix)
. MSTRKRFT - Easy Love (Casanova Remix)
. THE GOSSIP - Jealous Girls (Tommie Sunshine Remix)
. ANNIE - Heartbeat (The Field Remix)
. MARK RONSON feat. Lily Allen – Oh My God (Chris Lake Remix)
. APRIL MARCH - Chick Habit (Osymyso Relapse)

MISTÉRIO!
Para quem acompanha a série Doctor House pode já não ser novidade. Mas como aqui na casa o tal doutor passa completamente ao lado, só agora nos apercebemos que o homem também canta e até escreve canções. Gostamos particularmente desta “I’m in love with Steffi Graf” mas uma outra de nome “Mistery” também não está nada mal... Mas há muito
mais!

Hugh Laurie – I’m in love with Steffi Graf

Mistery

terça-feira, 18 de setembro de 2007


SE A MODA PEGA…
Dez discos iguais a este tem material bónus e ninguém sabe. A história é algo bizarra. A recente edição da colectânea Elvis Costello: The First 10 Years foi pessoalmente bonificada pelo artista que acrescentou a dez dos discos outros tantos Cd-R com material gravado em casa! A inserção foi feita já em Abril e até agora ainda não são conhecidos nenhuns felizardos o que prova, segundo Elvis Costello, que ninguém compra música...

segunda-feira, 17 de setembro de 2007


LUNARIDADES #24

. tal como era esperado a novela Led Zepplin confirma-se. Só 20 milhões de registos de pedidos para os 22 mil bilhetes para o único concerto em 25 Novembro próximo! Preço: 180 euros. Agora que o Maestro Vitorino de Almeida parece ter aceite ser programador do Festival Vilar de Mouros seria esta a escolha certa ;-)

. uma ida a Ponte Lima para uma descontraida incursão nas Feiras Novas acaba por nos parecer estranha! A alegria das gentes muito pouco sincera, bebedeiras inconsequentes, música do pior! Valeu o fogo de artifício. Um misto de ambiente a armar ao queque popularucho e snob, incaracterístico e anti-natura! Pronto, sempre há a super-bock mas não chega. Já foi tempo...

. do panorama rádiofónico já aqui fomos dando conta. A nova grelha da Ant3na tem coisas boas e coisa más, como sempre. Bom, espera-se: os Bons Rapazes de Álvaro Costa e Miguel Quintão aparecem diariamente das 20.00h às 22.00h, o Rui Unas tem um programa diário chamado “Cómico de Garagem”, o Rui Vargas volta à rádio com 3 horas à sexta à noite. Mau: o fabuloso Coiote do Pedro Costa desapareceu do mapa (!), a Caixa de Ritmos só aparece à sexta e sábado à noitinha (porquê?)... Já agora, quem é uma Catarina Limão que todos os dias tem três (3) horas da programação?

. impossível ficar indiferente à nossa selecção de rugby! Num mundo desportivo português arrogante, mentiroso, mesquinho e futeboleiro, a presença em França de uns maduros amadores que não se importam de perder por cem, não reclamam com os árbitros, não ficam em hoteis de luxo ou spas e vestem, como deve ser, a camisola da humildade e da honradez de um país nem sempre bem visto. Emocionante e, ao mesmo tempo, reconfortante! Tenho uma lágrima no canto do olho...


O SOLITÁRIONa capa da edição de hoje do suplemento P2 do Público lá está – O lobo deixou de uivar na Comercial. No interior duas páginas dedicadas a António Sérgio e aos dias tristes da rádio com um texto irónico mas acertivo de Miguel Esteves Cardoso intitulado “A música de António Sérgio é a melhor”. A fotografia que ilustra o artigo não deixa margem para dúvidas. Um António Sérgio triste, sob uma luz ténue de um candeeiro em pose expectante e de braços cruzados, à espera... Curioso o testemunho de João David Nunes no mesmo jornal nos seguintes termos “Já que há RDP espero que em breve o António Sérgio continue a dar som da fente e a lançar chamas, nas horas da Antena3 (...)”. No dia em que a mesma Ant3na tem nova grelha (lá iremos...) era de bom tom cumprir o tão aclamado serviço público e fazer da 3 a toca definitiva do lobo. Haja justiça! E agora um verdadeiro hino som da frente – Oblivous? Amen...

quinta-feira, 13 de setembro de 2007


FESTIVAL PAREDES DE COURA 2007
13 e 15 de Agosto
Já lá vai mais de um mês mas só agora temos a oportunidade de fazer uma breve revisão dos concertos deste ano de Coura. No segundo dia, 14 de Agosto, não foi possível marcar presença e, embora tenhamos escapado à chuva habitual, perdemos de certeza alguns bons concertos. Fica para a próxima....

1º dia, 13 de Agosto



NEW YOUNG PONY CLUB
Bom início do festival com uma banda em plena ascenção, cheia de grandes temas (Ice Cream p.ex.). Ainda por cima bem sexy... por isso tem direito a duas fotografias! Pujante e que soube a pouco.


SPARTA
Perfeitamente desconhecidos por estas bandas de cá, nem aqueceram nem arrefeceram. Talvez estejamos a ser injustos, mas parecerem-nos inconsequentes.


M.I.A.
Um dj Beat box, uma dançarina cantora e a artista. Bem no meio do palco, tão pouca gente deu, no entanto, para fazer aquecer o ambiente e mexer com as hostes. De fato prateado e peruca, a artista revela-se depois bem exótica... Claro que Galang foi o auge e mereceu um mergulho serpenteado para o meio do público.



BABYSHAMBLES
Sem o guitarrista principal retido algures (!), coube a Peter Doherty assumir a guitarra principal, sem bons resultados, diga-se. Canções em catadupa, sem provocações e um irritante e constante soltar da correia da guitarra... De chapéu largo, Peter Doherty lá foi, a custo, cantando alguns temas novos, uns oldies dos Libertines entre eles, claro, “Fuck Forever”. Limpinho e sem polémicas, mas uma desilusão!


3º Dia, 15 de Agosto

ELECTRELANE
Uma agradável surpresa este quarteto feminino. Excelente som, música madura e a necessitar de uma escuta mais atenta e, com toda a certeza, com uma melhor apreensão se o ambiente fosse nocturno. Excelente a versão de “I’m on Fire” de Bruce Springsteeen. Simpático e irrepreensível.



SUNSHINE UNDERGROUND
Apesar de enérgico e aguerrido, a hora de jantar levou muita gente a virar costas a este concerto. O vocalista, espalhafatoso q.b. e algo irritante, liderou um registo oleado mas deslocado. Gostamos no entanto de “Borders”, grande tema!


PETER BJORN & JOHN
Claro que o disco tem boas canções e não só “Young Folks”. Ao vivo confirma-se esta realidade e em “Let’s Call it Off” ou no contagiante “Objects of my affection” com que terminaram, apoteoticamente, provam as suas capacidades e talento. E não foi preciso assobiar...



CANSEI DE SER SEXY
Talvez pelas expectativas serem altas, este foi um concerto com algum sabor a desapontamento. É certo que havia muita muita gente a cantar os temas, que o público estaria já rendido à partida, que a fama de momentos inesquecíveis noutras ocaisões (duas noites no Lux) ainda mais aumentou a parada. Mas a entrega não nos pareceu intensa, os músicos não são grandes músicos e só a vocalista parecia interessada em realmente animar o evento, o que só a muito custo e de forma ocasional conseguiu. Momentos altos: “Alala” e “Let’s Make love...”.



SONIC YOUTH
Este sim, o verdadeiro concerto do festival. Apagando algum travo amargo da sua já longínqua e desvairada passagem pelo Sudoeste em 1998, Kim Gordon e companhia apresentaram em palco argumentos mais que suficentes para a eternização. Desde os mais recentes, mas já clássicos, “Incinarate” e “Do you believe in rapture” passando por “100%” e por “Bull in the heather”, tudo se articula na perfeição, sejam as vozes roucas ou os feed-backs. Thurston Moore é verdadeiramente magnífico. Histórico e memorável.


Todos os videos e mais alguns em HugTheDj.
DUETOS IMPROVÁVEIS #13
JOHNNY CASH & MISS PIGGY
Jackson
The Muppet Show, Fevereiro de 1981



TRISTEZA
Que os dias da boa rádio parecem já ter acabado, pelo menos no Porto, não temos dúvidas. Ainda picamos de vez em quando o mestre Sérgio na actual Comercial, madrugada dentro com enorme satisfação. Pois é, mas também esse pequeno reduto alternativo de âmbito nacional tem o seu fim marcado... Ao que parece a última emissão de “As Horas de António Sérgio” está marcada para a próxima madrugada do dia 15 de Setembro da 1.00h às 3.00h. Amargo! Porquê?
AMY ATTRACTION...
Depois dos Arctic Monkeys, de Paolo Nutini ou das Girls Aloud, entre outros, chega agora a vez de Patrick Wolf. Ninguém resiste a Amy Winehouse e assim aqui fica mais uma cover desta vez de “Back to Black”, disfarçada ao vivo entre outra canção e interpretada em Toronto na terça feira passada...


PELA ESTRADA FORA
Havia aquele disco comprado na Bimotor saboreado vezes sem conta, havia os Go Betweens a cantar a misteriosa “The house that Jack Kerouac built”, havia os The The e o inesquecível “The Beat(en) Generation”, havia o “Easy Rider”, havia aquela aura libertadora e misteriosa sobre um livro do qual sempre ouvimos falar e que os mais velhos elogiavam, havia uma vontade imensa da fazer a Route 66 para o que fomos pondo algum dinheiro à parte (talvez um dia JP), havia aquela sensação de que estavamos a perder algo inesquecível. Mas não havia o livro em nenhum lado e quem o tinha guardava-o só para si! As edições antigas estavam esgotadas, a Amazon ainda era desconhecida. A curisosidade era sempre adiada... Até que foi finalmente reeditado! Em três dias de férias marítimas devoramos aventuras, ambientes e paisagens, imaginamos e queríamos ser Sal Paradise, a personagem principal, o próprio e autobiográfico Kerouac. Arrojado, solitário e solidário, sedutor e gentil, cool e aquela vontade de partir, sozinho, sem relógio ou calendário, à deriva. Porque o livro faz agora 50 anos, porque é um dos livros na nossa vida, porque ainda não perdemos a esperança de o reler lá, na América profunda e porque nos inspira continuamente, façam o favor de o ler pelo menos uma vez... ou duas!

As únicas pessoas autênticas, para mim, são as loucas, as que estão loucas por viver, loucas por falar, loucas por serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que não bocejam, mas ardem, ardem, ardem como fabulosas grinaldas amarelas de fogo-de-artifício a explodir

Jack Kerouac Explains On The Road

quarta-feira, 12 de setembro de 2007


ELISA...
Uma rápida chamada de atenção para os concertos da próxima semana dos Massive Attack. Para além da presença habitual de Horace Andy a banda será acompanhada pela sedutora Elizabeth Fraser! Pensamos ser a primeira vez que, em Portugal, esta brilhante colaboração se concretiza ao vivo. Certo?
MASSIVE ATTACK w/ Liz Fraser – Teardrop (live from Abbey Road)

MATHEW DEAR + ELLEN ELLIEN & APPARAT
ANTI-POP MUSIC FESTIVAL, 9 de Agosto, Viana do Castelo

Como o prometido é devido, fazemos agora um pequeno flashback sobre este evento. E que evento... Indo directo ao assunto, ambos os concertos foram curtos mas de enorme intensidade. O de Mathew Dear, melhor, foi mesmo memorável. Acompanhado por um baixista e um baterista, o polifacetado artista puxou dos galões e apresentou um conjunto notável de temas dos seus últimos discos com particular incidência no mais recente “Asa Breed”, de tonalidades mais pop e até intimistas. Esta versão, para alguns, inesperada de um artista conotado com a electrónica e a house, assenta-lhe na perfeição e se o festival era anti-pop, então não se notou aversão alguma. Queremos mais!
Quanto a Ellen Allien e o seu companheiro Apparat as sonoridades foram mais consentâneas com o espírito do festival. Munidos de dois computadores, a dupla debitou quase na integra o disco “Orchestra of Bubbles". Nos temas cantados por Ellen, a artista arriscava uma presença na frente do palco incitando ainda mais à dança. Foi assim durante o fabuloso “Way Out”, quando, inesperadamente, a corrente eléctrica falhou! Depois de algum tempo de espera e de solucionado o problema, nada melhor que repetir, agora sim, na integra tão grande “pedra”...
Para mais, muito mais, nada melhor que um salto a HugTheDj.

AU REVOIR SIMONE EM BRAGA
Na onda dos bons concertos previstos até final do ano surge agora mais um. O grupo preferido de David Lynch, o trio feminino Au Revoir Simone, toca no Theatro Circo em Braga no dia 4 de Dezembro, terça-feira. Com o arrefecimento nocturno previsto, espera-se um momento aconchegante! A amiga Aglidole deve estar já a tricotar a manta...

terça-feira, 11 de setembro de 2007


LUNARIDADES #23

. ainda a Casa da Música e os concertos. Claro que existirão eventos pop-rock até ao fim do ano na CDM o que não são é promovidos pela sua gestão mas sim por produtoras externas. Ainda bem, é melhor deixar para quem sabe!

. adivinha-se interessante este final de 2007 no que se refere à música ao vivo. Entre outros teremos, The Sea and Cake, Interpol, Blonde Redhead, David Sylvian, Josh Rouse, Rufus Wainwright, Patti Smith, amiina e Caetano Veloso. Nada mau.

. na sexta à noite uma rápida passagem pelo festival VIMus da Póvoa de Varzim no Diana Bar/biblioteca permite preceber as potencialidades do evento: entrada gratuita para todas as idades e interesses, desde o casal e os seus filhos ainda em carrinho de bebé até a um grupo de nerds em extase, poltronas confortáveis, excelente som e clips na maioria bem interessantes. Como referia a nossa companhia é pena nalguns casos, poucos, mais enfadonhos não termos o comando para mudar de canal -;). Já há premiados, mas gostamos mesmo muito de um clip fabuloso dos Coldcut para “Sound Mirrors”... Um evento descoberta!

. custosa esta rentrée profissional, trabalhosa mesmo! Demasiados embróglios a que se juntam outras chatices sócio-desportivas. Tudo junto e a vontade de desistir dalguns projectos começa a fervilhar. Mas então as férias não serviram para nada? Parece que não... Depressivo!

. Maddie, Maddie e mais Maddie! E não se pode PARAR esta praga. Estamos a ficar mad!

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

DUETOS IMPROVÁVEIS #12
PAVAROTTI & BARRY WHITE
My first, my last, my everything

OOPS... UM CONCERTO NA CASA DA MÚSICA!
Contrariando e ainda bem um dos nossos desabafos das Lunaridades, a Casa da Música vai receber no próximo dia 4 de Outubro a visita do brilhante colectivo feminino Amiina. Provenientes da Islândia editaram este ano o álbum Kurr e são muitas vezes comparadas aos seus conterrâneos Sigur Rós. Música intimista, de paisagens sonoras que semeiam a nossa imaginação. Imperdível!
amiina - seoul





FAROL #33
Não tem sido um ano muito fácil para Amy Winehouse! Apesar do êxito estrondoso de "Rehab" e do seu novo disco, alguns tormentos pessoais continuam, injustamente, a fazer as delícias da imprensa. Uma coisa é certa - talento musical não lhe falta. Aqui fica a sua magnífica sessão na BBC no início de 2007.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007


IRRESISTÍVEIS?
Foram ontem apresentados os novos iPod’s. O novo chama-se iTouch e mais não é que um iPhone mas onde não se pode telefonar: toque no (grande) ecrã, tecnologia sem fios para ligação à internet e com acesso directo à loja iTunes sem ser preciso um computador. A capacidade é que deixa algo a desejar – entre 8 e 16 gb. Agora de arrasar é um outro “novo” iPod chamado Classic que mais não é que uma actualização do último iPod e que terá uma capacidade entre 80 gb e 160 gb!!!!!! Será que vamos resistir a ter tanta música ali à mão? Um clássico…

CANÇÕES PERFEITAS
O mais recente número da revista Q é dedicada aos chamados songwriters, apresentando uma selecção das 10 mais perfeitas canções até hoje escritas. Na eleição estão cinquenta autores contando-se entre eles Rufus Wainwright, Michael Stipe, etc. O resultado, previsivel, é este:

Bitter Sweet Symphony - The Verve
Blowin' In The Wind - Bob Dylan
Born To Run - Bruce Springsteen
God Only Knows - The Beach Boys
Hallelujah - Jeff Buckley
Life On Mars - David Bowie
Perfect Day - Lou Reed
Strange Fruit - Billie Holiday
Strawberry Fields Forever - Beatles
Sympathy For The Devil - Rolling Stones


Algumas escolhas individuais foram estas:

- Michael Stipe: Ashes to Ashes by David Bowie (1980)
- James Blunt: Maybe Not by Cat Power (2005)
- Rufus Wainwright: Somewhere Over The Rainbow by Harold Arlen and E.Y. Harburg (1939)
- Gary Lightbody (Snow Patrol): California Soul by Marlena Shaw (1969)
- Tim Rice-Oxley (Keane): She's Leaving Home by The Beatles (1967)
- Ronnie Wood: Teardrops by Womack And Womack (1988)
- John Cale: She Belongs To Me by Bob Dylan (1965)
- Fran Healey (Travis): Another Sleep Song by Graham Nash (1973)

A nossa escolha, como não podia deixar de ser, é esta... Qual é a vossa?

terça-feira, 4 de setembro de 2007


DOIS em UM!
A boa notícia que os Interpol iniciam a sua digressão europeia em Lisboa no próximo dia 7 de Novembro com um concerto no Coliseu já era conhecida. Agora quem é que eles convidaram para abrir toda essa digressão? Nada mais nada menos que os Blonde Redhead que tem no seu disco “23” um dos álbuns do ano. Great! Rápido às bilheteiras!
Blonde Redhead - "Dr. Strangeluv" (Barcelona)


VIMUS – novo festival!
Já aqui tinhamos dado nota sobre a falta de um festival no Porto dedicado ao video-documentário musical. Pois é, alguém também a sentiu e, assim, aí está o VIMUS- Festival Internacional de Video Musical da Póvoa de Varzim, que decorre já a partir de 5ª feira próxima e se prolonga até Domingo. Claro que Álvaro Costa, verdadeiro especialista na matéria, está envolvido na jogada que se espera frutuosa e duradoura, ao contrário das duas(?) saudosas edições promovidas no Fantasporto. Só não pecebemos é como um vilacondense de gema promove um festival na vizinha e rival cidade poveira (just joking). Se calhar até percebemos... O programa apresentado não é bem o que estavamos à espera, já que incide nos videoclips e não nos documentários sobre bandas, discos, concertos, etc. tal como o In-Edit de Barcelona. Sendo assim, a nossa ideia inicial continua por concretizar! Póvoa do Varzim, mais uma cidade no roteiro alternativo do... Porto.

LUNARIDADES #22
De volta, ainda a meio gás...

. as férias são quase sempre poucas, mas indubitavelmente saborosas! Em todos os momentos de praia, mar, borga, copofonia, leitura, gastronomia, etc., etc., a música esteve sempre presente. Via Ipod, a pedalar à ida ou vinda da praia, antes de dormir, nas viagens tardias para os restaurantes, ou simplesmente a contemplar as estrelas ela lá estava... Em playlist, em shuffle, em escolha creteriosa dos amigos ou ao desafio, não houve quem resistisse. Nova, inédita, velhinha, calma ou acelerada já não há volta a dar. Ainda bem... Agora, de todos os discos ouvidos em férias, porque é que regressamos sempre AQUELE disco? Um dia talvez tenhamos uma explicação.

. e só mesmo as férias para nos fazer regressar, em boa hora, à leitura de livros de forma compulsiva! Já lá vão meia dúzia sendo o último uma verdadeira e agradável surpresa! Trata-se de "A Sombra do Vento” de Carlos Ruiz Záfon, um romance fabuloso e que envolve... livros, claro! Obrigado, Ana, pela sugestão e pelo livro. Parece que existem já outros clientes à espera...

. da programação da Casa da Música para os últimos quatro meses do ano, recentemente apresentada, não consta um único evento pop/rock/electronica/moderna, etc. Nada! Uma vergonha... Ainda por cima a concorrência é nula!

. dos concertos vistos em Agosto daremos conta logo que possível, apesar do desfasamento. Isto é, um dia de AntiPop de Viana e dois dias de Coura.

. a febre Led Zepplin já começou como seria de esperar. Vamos indo e vamos vendo!