quinta-feira, 29 de outubro de 2020

PORTO/POST/DOC, DE OLHOS NA AMÉRICA!

A edição deste ano do Porto/Post/Doc, festival de cinema do real terá na sua secção "Transmission" dedicada à música uma particular atenção à América com uma programação apetecível onde se destaca a estreia em salas nacionais de "American Utopia" de Spike Lee, documento que apresenta o espectáculo e o disco com o mesmo nome que David Byrne apresentou na Broadway no início deste ano e que passou por Cascais em Julho de 2018. 

Esta interpretação ao vivo do álbum ganhou, desde logo, uma inspiração e conotação política urgente atendendo à tensão social em que o país perigosamente vai vivendo e teve recente estreia em televisão no canal promotor HBO. Estão marcadas duas sessões - uma na cerimónia de abertura no dia 20 de Novembro, sexta-feira, pelas 22h00 no Teatro Rivoli e uma outra dia 28, também sexta, ainda sem indicação de sala. A não perder!


quarta-feira, 28 de outubro de 2020

BELLE AND SEBASTIAN, AO VIVO TAMBÉM É BOM!






















Faltava aos escoceses Belle And Sebastian um álbum ao vivo lançado de forma oficial e autorizada já que em versões pirateadas de início de carreira sempre houve muito por onde escolher. Pressionados pelos fãs para disponibilizarem gravações de concertos, uma opção que sempre adiaram na tentativa de fazer valer a qualidade da dezena de discos de originais editada desde 1996, a escolha recaiu sobre um conjunto de vinte e três temas que, mesmo não funcionando como um "Best Of" ou um "Greatest Hits", são o espelho das virtudes plenas da banda no verão de 2019, nomeadamente por terras americanas e durante o "The Boat Weekender", cruzeiro pelo Mediterrâneo transformado em festival de música. 

Por isso, "What To Look For In Summer" com data prevista de edição para 11 de Dezembro em formato de duplo vinil, parece ser um bom desopilante para estes tempos de incerteza que não nos largam e que, caramba, nos aporta tantas recordações e saudades de espectáculos ao vivo de eleição a que os Belle And Sebastian sempre nos habituaram... 


terça-feira, 27 de outubro de 2020

DE AUGUSTINE, SINGLE COM STEVENS!






















A Asthmatic Kitty é uma editora de discos independente com antiga base em Holland no Michigan americano e que tem ao comando o padrasto Lowell Brams e o enteado Sufjan Stevens. Desde 1999, a comunidade de músicos funcionou sempre em regime de entreajuda e partilha o que motivou a sua redistribuição logística entre Lander, Indianapolis (Wyoming) e Brooklyn (Nova Iorque) e o acolhimento a novos projectos como Helado Negro ou Angelo de Augustine. A chegada deste último em 2017, apressou o incentivo e o apoio incondicional do próprio Sufjan traduzido no magnífico álbum "Tomb" do ano passado e no qual se tornou evidente a qualidade das composições produzidas pelo mago Thomas Bartlett e donde, ao que parece, sobraram pelo menos duas excelentes peças.

Em Abril passado uma dessas sobras chamada "Santa Barbara" conhecia a luz do dia a que se junta agora "Blue", ambas com a contribuição de Sufjan e que terão direito a um 7" de vinil obviamente azulado ao qual se pode adicionar merchandising da autoria de Augustine e com data de envio prevista para Janeiro. Os respectivos videos em formato Super 8 são também da sua responsabilidade. Fica, já agora, a recordação desta magnífica parceria em "Time" registada em 2018 numa sessão no Reservoir Studios de Nova Iorque. 



segunda-feira, 26 de outubro de 2020

PAUL McCARTNEY, FEITO NO ROCKDOWN!



















Passaram já cinquenta anos (1970) sobre "McCartney I", o primeiro álbum a solo de Paul McCartney, quarenta anos (1980) sobre "McCartney II", o segundo e, por isso, estava na hora do terceiro anunciado para o próximo dia 11 de Dezembro. Em nome próprio, contudo, McCartney editou já dezoito discos!

Escrito, tocado, cantado e produzido em regime solitário de "Rockdown", "McCartney III" é o resultado de seis semanas de baixa por doença no início do ano aquando de uma passagem ao vivo pelo Japão, oportunidade de descanso a que se juntou a chegada da pandemia e o consequente isolamento forçado. O amor e liberdade que polvilham as novas canções parecem sugerir uma semelhança com as temáticas expressadas na referida estreia a solo depois do término dos The Beatles mas onde se acrescenta uma maior dose de optimismo, o que, atendendo às circunstâncias, será sempre de elogiar...

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

MEXICAN SUMMER, VENHAM MAIS DEZ!






















Em Novembro de 2018 a editora Mexican Summer celebrou o décimo aniversário com um mini-festival em Brooklyn onde participaram Ariel Pink, Drug Dealer ou os Allah-Las, artistas e bandas respresentativos da diversidade do seu catálogo e da sua constante ambição. Na altura, foi lançada uma colectânea com doze temas exclusivos e inéditos que vasculhava nos arquivos e esforços desse colectivo artístico com pegada de irreverência e sem medo do futuro. 

Há agora uma novo desafio para mais uma década de canções - "Looking Glass" agrega uma vontade de partilha com base nos projectos da editora mas que se alarga a outros de proximidade e cumplicidade na aventura da descoberta e colaboração. O primeiro desses exemplos traduz-se em "Love's Refrain", notável tema da autoria de Jefre Cantu-Ledesma e Julie Byrne que amavelmente lhe juntou a sua voz e que é a principal personagem do video entretanto rodado. Com esta intenção em aproximar e multiplicar parcerias e encontros informais como este e com tão alto calibre, não será difícil prever que mais dez de anos de excelência se adivinham...   

 

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

FAZ HOJE (25) ANOS #43






















GEORGE MARTIN E ORQUESTRA CLÁSSICA DO PORTO, "Beatles For Peace", Coliseu do Porto, 19 de Outubro de 1995
 
. Público, por Carlos Romero e Nuno Corvacho, fotografia de Paulo Pimenta, 21 de Outubro de 1995, p. 24

DUETOS IMPROVÁVEIS #229

LOCAL NATIVES & SHARON VAN ETTEN 
Lemon (Local Natives) 
Loma Vista Recordings, Outubro de 2020

sábado, 17 de outubro de 2020

BILL E BONNIE & Cª (I)LIMITADA!












No início do mês uma parceria entre Bill Callahan e Bonnie Prince Billy submergia de fininho sem grandes explicações. O dueto contou com a ajuda de Azita para nos encantar com "Blackness of The Night", versão de um tema de Cat Steven de 1967 e parecia um acaso, mas logo na semana seguinte uma outra versão, desta vez de "OD'd In Denver" de Hank Williams escrita em 1979, sugeria uma continuidade da matriz 2+1 já que um terceiro cúmplice, Matt Sweeney, se juntava à dupla. 

Nova semana, nova versão... A escolha recaiu desta vez em "I've Made Up My Mind" de Dave Rich, uma toada country com toque do escocês Alasdair Roberts e que recebeu imagem de capa a cargo de Elsa Hansen Oldham, esposa de Bonnie Prince Billy. Os videos, as colaborações, as capas e o seus artistas, tudo contribui para o adensar de um mistério que deve ter resolução muito em breve com o anúncio de álbum ou um EP onde estas e outras versões certamente acabarão reunidas pela editora Drag City...
 

 

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

FAROL #138















São apenas duas, mas saborosas, as versões que Chico Bernardes decidiu incluir na sua estreia na série The Lagniappe Sessions - "On a Neck, On a Spit" dos Grizzly Bear de Daniel Rossen, guitarrista e compositor influenciador-mor das primeiras canções do mais novo mano Bernardes e "Fora do Meu Quarto", tema inédito dos amigos Sophia Chablau e Téo Serson que habitualmente partilham ao vivo em pequenos palcos de São Paulo. Para descobrir sem demora...

JULIA JACKLIN, BEM-VINDA AO CLUBE!



















A clássica série "Singles Club" promovida pela editora americana Sub-Pop desde 1988 com um primeiro single dos Nirvana (o mítico "Love Buzz") permite aos subscritores receberam na caixa de correio de casa um exemplar exclusivo em vinil. A série vai já em cinco volumes e em centenas de bandas e artistas a que aderiu recentemente a australiana Julia Jacklin com duas canções inéditas. 

Em permanente rodopio nos últimos cinco anos, o medo de deixar para trás boas experiências em troca do desconhecido e da solidão motivou a composição, magnífica, de "to Perth, before de border closes", o lado principal do 7" que apresenta no lado B o tema "Cry", uma confessada inspiração em Dolly Parton que contou com a ajuda de uma série de músicos da cidade de Perth. Foi por lá que, supostamente, andou a vaguear de câmara (?) na mão para recolher, editar e alinhar imagens para o video principal em jeito de uma comédia de horror à maneira adaptada aos novos tempos...


quarta-feira, 14 de outubro de 2020

THE FLAMING LIPS DE SECRETÁRIA (CASA)!

THE MOUNTAIN GOATS, FACADAS NA ROTINA!

Data de Abril passado uma rápida incursão caseira de John Darnielle pelos recursos analógicos de gravação de canções e que deram origem a um álbum inesperado dos The Mountain Goats. Certo é que, sabe-se agora, a banda tinha já passado um mês antes pelos míticos estúdios Sam Phillips de Memphis para, aí sim, registar novas canções sob alçada do produtor Matt Ross-Spang, o mesmo de "In League with Dragons", disco do ano transacto que mereceu digressão de proximidade

O resultado tem o nome de "Getting Into Knives", certamente mais uma alusão rebuscada de Darnielle a muitos dos mundos imaginários ou ficcionais que o atormentam e desafiam mas que, desta vez, acabará por se revelar plausível atendendo às muitas horas ociosas de contemplação e isolamento dos últimos meses que vivemos no mundo real! Aqui ficam três facadinhas na estranha rotina, uma delas - "Get Famous" - com direito a um raro video onde os elementos da banda se tornam bobbleheads armadilhados por uma suposta fama. Cortante!

O disco tem data de publicação agendada para dia 23 do corrente mês e conta com uma série de goodies que só são estranhos para quem não conhece a peça Darnielle, apostado que está numa carreira de vendedor encartado...



terça-feira, 13 de outubro de 2020

LLOYD COLE, PÔR A ESCRITA EM DIA!






















A notícia principal sobre Lloyd Cole poderia ser a saída de um novo trabalho creditado como "Dunst", resultado de um dia de gravações em Junho último à volta do gerador de ruído digital Ieaskul F. Mobenthey' Dunst, aparelhómetro de múltiplos e aleatórios barulhinhos de alguma "sujidade" como convêm a qualquer laboratório sonoro. Nada como experimentar

Mas o que tem inquietado alguns fãs (onde nos incluímos) é a polémica venda na loja online de letras das suas canções escritas pelo próprio, embora reconheça que a sua caligrafia se aproxima mais à de um idoso sem controlo de mãos. O músico vendeu 125 manuscritos num único dia à módica quantia de 75 dólares cada e está prometida nova remessa ainda este mês, podendo os fãs no acto da encomenda referir qual a lírica, qualquer uma, que pretendem que lhe seja propositadamente escrita à mão e devidamente assinada. 

As opções são entre um cursivo ou uma caixa alta em tinta azul ou preta de caneta de aparo sobre papel de gramagem elevada de dois tamanhos e sem prazo definido de entrega. Há que confiar, pois, na disponibilidade caseira de Cole para deitar mãos à obra e pôr a escrita em dia. Era uma folhinha com o "Forest Fire" em cursivo s.f.f. (o vírus anda mesmo a despertar estranhos efeitos)...

DAMIEN JURADO, DISCO COMPACTO!






















A suspirada digressão europeia de Damien Jurado prometida para Novembro e que passava mesmo aqui ao lado foi hoje oficialmente adiada para o próximo ano. Talvez em jeito de compensação antecipada, o músico lançou de surpresa no final da semana passada um EP chamado "Unissued" que terá somente formato de CD limitado a mil exemplares sem direito a modernices como streamings, downloads ou videos ou sequer uma clássica rodela de vinil ou até lojas de porta aberta!

Três dos cinco temas inéditos têm nome de actores ou personagens do mundo televisivo ou cinematográfico tal como aconteceu, aliás, com a canção "Marvin Kaplan", actor principal do sitcom americano "Alice Já Não Mora Aqui" (1974) e que foi incluído no magnífico álbum "The Horizon Just Laughed" de 2018. Agora os homenageados com nomes de cantilena são "Alfred Lutter III", jovem actor da mesma série "Alice Já não Mora Aqui" ou do filme de Woody Allen "Nem Guerra Nem Paz" (1975), "Bubba Norris", supostamente da série norte-americana "The Method" (1996) ou até, quem sabe, o personagem Morpheaus do filme "The Matrix" (1999) e "David Madden" (1931-2014), nome de outro actor conhecido pela sua participação na comédia dos anos setenta "The Partridge Family". Sobram os enigmáticos "Customer #3" e "Arrivals / Departures". 

A imagem de capa é da autoria do britânico Marcus Whitmore, o mesmo do referido “The Horizon Just Laughed” e o próprio Jurado decorou o disco compacto e a restante embalagem. Como só podemos ouvir e descobrir os novos temas depois de receber a encomenda, o melhor será mesmo repetir o prazer de escutar esta maravilha...

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

AJUDA@MÚSICA@AJUDAR #35













Citando: 

"Circuito é a principal rede nacional para a valorização, proteção e desenvolvimento das salas e clubes com programação própria de música ao vivo. Atualmente, o Circuito é constituído por 27 salas de todo o país. Ao todo, estas salas promoveram, em 2019, 7.537 atuações musicais, envolvendo dezenas de milhares de autores, intérpretes e outros profissionais do espetáculo, para uma audiência de 1.178.847 pessoas. 6 meses após o início da pandemia, as salas e clubes de música ao vivo continuam encerradas, sem apoios e sem estratégias públicas de proteção e valorização. 

Para evitar que o circuito chegue ao fim, 27 salas de todo o país criaram uma rede para chamar a atenção para a importância destes espaços no ecossistema cultural e forçar medidas de apoio. No dia 17 de outubro, às 15:00, o Circuito faz-se ouvir numa concentração em Lisboa, Porto, Évora e Viseu. Serão convocados artistas, profissionais do espetáculo e público para se juntarem a esta causa com uma mensagem capaz de ecoar pelos corredores políticos. São mais de 300 os artistas nacionais que já assinaram este cartaz.

É desta forma que se se apresenta o #aovivooumorto, o apelo para que músicos, profissionais do espectáculo ou público se juntem em filas no próximo sábado, dia 17, às 15h00, à porta do Lux Frágil, em Lisboa, dos Maus Hábitos, no Porto, do Carmo 81, em Viseu e da Sociedade Harmonia Eborense, em Évora. Para que o circuito não morra nunca, junta-te à fila! 

UAUU #555

sexta-feira, 9 de outubro de 2020

ADRIANNE LENKER, ASSIM NÃO VALE!

Sempre ouvimos dizer que as árvores também falam, esticando as raízes, os ramos e as folhagens convenientemente para trocar mensagens! Ao ouvir cada nova canção da menina Adrianne Lenker é como se essa suposta linguagem da natureza lhe tivesse sido segredada ao ouvido num embalo melódico perfeito e eternamente misterioso. Assim não vale...