domingo, 6 de abril de 2014

MATTHEW E. WHITE, Centro de Arte de Ovar, 5 de Abril de 2014

Há em "Big Inner", o álbum de estreia do norte-americano Matthew E. White, muito por onde escolher para nos seduzir. Como tiro de partida, o tal "beginner", devia ser mesmo um exemplo a seguir por muitos dos que pretendem vingar no mundo conturbado da música pelo caminho mais estreito - a qualidade. Para a medir convenientemente, basta ouvir com atenção a maioria das canções lustrosas que White construiu e gravou, uma amálgama gloriosa de soul e funk de arranjos magistrais que purificam mesmo os ouvidos mais exigentes. Mudar o registo para uma simples guitarra e voz é, assim, um "jogo de risco" paras os dois lados da "contenda" - o público conhecedor das tais canções e o próprio artista. Esta foi, aliás, a segunda vez que White o fez (a primeira, a estreia, tinha sido no concerto de véspera em Lisboa) mas ninguém pode ter razões de queixa. Pelo domínio da guitarra, pela voz potente e quente, pela simpatia e entrega, a noite foi de confirmação de um talento em bruto com uma "margem de progressão" inimaginável. Aqui ficam, para o provar, dois grandes exemplos!    



Sem comentários: