sexta-feira, 24 de maio de 2019

ERIKA DE CASIER + TORO Y MOI, Hard Club, Porto, 23 de Maio de 2019

Coube à menina dinamarquesa Erika de Casier aquecer a plateia ainda em fase animada de enchimento e alto volume de conversa. Se captar a sua atenção já não era fácil, a pouca luz projectada em palco e o volume da voz no limite do sofrível só ajudaram a que a oportunidade de envolvimento fosse perdida e que, raio, se questionasse para que serva o esforço de aquecimento nestas condições. Enfim... Valeu, mesmo assim, a licitude das canções retiradas de um disco de estreia recente de embrulho no r&b moderno e em constante rejuvenescimento.



Não, não, caro Chaz, não passaram cinco ou seis anos sobre qualquer visita à Invicta. No nosso caso, a única e primeira vez que vimos ao vivo Toro y Moi foi em Vila do Conde em 2011 e, por isso, urgia uma inédita dose de chã da CUF dançante em recinto condizente e postura descontraída pronta para a destilaria.

Atendendo à ementa disco funk do último álbum, o bailarico podia começar de imediato mas só à terceira canção com "Ordinary Pleasure" a onda de choque começou a fazer efeito, um balanço curto tal como os temas originais que precisam de "passagem" sabida e que teve na eficácia do velhinho "Stll Sound" uma agradável surpresa. Aquando de ritmos mais lentos era ver o bar apinhar-se de sequiosos convivas sempre à espera de motivos de força maior para esvaziar o copo que não demoraram a soar - "Fading" ou "Baby Drive It Down" por exemplo - mas foi com a dose dupla de "Freelance" que os copos acabaram mesmo entornados. Improvável e nunca vista esta versão imediatamente memorável de uma canção tocada, cantada e dançada colectivamente em repeat como que a carregar para trás num botão do tempo que não existe mas que afinal é possível para festarola generalizada! Foi como andar nas nuvens, melhor, na água... 


Sem comentários: