quarta-feira, 11 de junho de 2008

FEIST, Coliseu do Porto, 10 de Junho de 2008


A relação portuguesa de Leslie Feist, iniciada em 2005 com concertos a solo, parece ter sido marcante. A noite no antigo Hard Club de Gaia tornou-se inesquecível para a cantora que fez questão em recordar tamanha memória e lançar o repto de fazer história novamente. Em parte, o objectivo foi alcançado. Nesta primeira aparição com uma banda, Feist inicou o concerto sozinha por detrás de um biombo, ao estilo sombra chinesa, num momento lindíssimo e bastante teatral (video HugtheDj). As referidas sombras estiveram presentes ao longo de praticamente todo o espectáculo, projectadas e construidas no momento no ecrã de fundo por duas artistas num dos cantos do palco. Depois foi o esperado. Temas que todos conhecemos e temos vontade de cantar, pretensão que artista aproveita para nos "arrastar" para a participação nos coros colectivos previamente ensaiados. Foi assim em “Honey, honey”, “Secred heart” e “Intuition”, com Feist sozinha em palco a fazer lembrar o tal concerto do Hard Club. Do último disco passaram quase todas as canções, como os dançáveis “I feel it all”, “1234” ou “Sea Lion Woman”, potente, com a colaboração dos elementos dos Lawrence Arabia, banda que realizou a primeira parte. Gostamos particularmente de alguns arranjos light para “Gatekeeper”, com uma trompa a la Burt Bacharah, ou um quase irreconhecível “Inside Out”, em versão arastada e suave. Faltou, se não nos falha a memória, “Mushboom”... Terminou novamente por detrás do biombo, ao piano, contando histórias sobre a sua ferverosa vontade em tocar em Portugal, de que sente saudades afectivas, elogios que nos fazem sempre sorrir. Uma verdadeira e sedutora artista!

5 comentários:

Rita Mi. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Mi. disse...

o inside out será o do Open Season? essa versão é assim calminha. Se já estava ansiosa pelo concerto hj em Lisboa, agora estou ainda mais!

O Puto disse...

O "Mushaboom" não faltou, não senhores. Foi antes de "My Moon My Man". :)
Pelas fotos dá para ver que não estavam muito longe de mim.

JMiguel Neves disse...

quanto ao Mushaboom, deve ser do cansaço;-))) Quanto à versão do inside out "esta" é mesmo diferente!

Nia disse...

Tão bom, tão bom, tão bom...

E houve My Moon My Man na Aula Magna :D

Saudações lisboetas ;)
Nia