quinta-feira, 8 de outubro de 2009

AMÁLIA, HOJE...


Da iniciativa “O Vinil Está de Volta” que a FNAC leva a efeito até dia 21 de Outubro, importa reter duas notas. A primeira, é que o formato single (7”/45rpm) foi pura e simplesmente esquecido. A segunda, os discos estão, comparativamente a outros mercados, abusivamente caros. Mesmo assim, fizemos duas compras!
Era praticamente irresistível não trazer para casa este picturedisc de Amália Rodrigues, que tem desenho lindíssimo de Bruno Santino. A edição (legal?) é de Abílio Silva e Semanas, Lda. e anuncia-se que só foram feitos 600 exemplares. A gravação reúne 12 temas dos primeiros anos (1945-1953) de Amália e por isso o som é, compreensivelmente, um pouco sofrível.
A segunda aquisição, que muito procuramos o ano transacto, é o maxi/12” dos Portishead com o tema “The Rip”, numa edição limitada em vinil desenhado (etched). Um achado!


Já que falamos em Amália Rodrigues e a propósito de uma recente conversa entre amigos, seria mesmo muito bom que, no âmbito das actuais comemorações, se disponibilizasse, finalmente, uma nova edição do mítico disco “Amália na Broadway”. Gravado em 1965 com o famoso arranjador Norrie Paramor, só em 1984 seria editado em vinil, tornando-se, desde aí, uma peça de colecção. Tal como escreveu Miguel Esteves Cardoso na contra-capa (carregar na imagem para ler o texto na integra), trata-se de um disco “Sem a companhia do Fado, é com Fado que se está. Fora da língua portuguesa, é bem dentro dela que sempre aqui se cai. (…)”. Desconhecido do grande público, reúne oito temas de amor de compositores americanos, verdadeiros clássicos como “Summertime” de Gershwin, “Blue Moon” de Richard Rogers ou “Long Ago Far Away” de Jerome Kern. Um disco que continua a ser um segredo bem guardado!

4 comentários:

valter hugo mãe disse...

tenho uma edição em cd deste «amália na broadway». pois. teoricamente não deveria existir, mas, e foi a história que me contaram, alguém lá para as américas fez uma edição de 1000 ou 2000 exemplares que voaram imediatamente.
há assim umas quantas pérolas da nossa diva a circularem pelos caminhos mais difíceis. como uns álbuns gravados na itália (com ela a cantar em italiano) e outros que tais.
nas nossas lojas não aparecem estas coisas, ando sempre à procura, mas ainda acaba por ser a net (e o estrangeiro) o melhor lugar para comprar o menos óbvio da amália.
entre cds e discos, tenho umas quantas coisas lindas desta voz (como o ep maluco com o carlos paião e o senhor extraterrestre, chiça).
abraço
devo ver-te no trama, este ano é mesmo tramado. não perco

JMiguel Neves disse...

... um ep maluco em vinil amarelo!
Vai ser tramado ir ao TRama mas vou tentar!
um abç

Anónimo disse...

Boas, alguém me sabe dizer o valor deste LP da Amália na Broadway? Só existem cerca de 2000 em todo o Mundo?

RodriguesAntónio disse...

Tenho um original da Amália no Broadway como novo, tanto a capa como o vinil trata-se de uma edição de 1984. A capa é igual aquela que consta aqui no post.