segunda-feira, 14 de julho de 2008

BONNIE PRINCE BILLY, O Meu Mercedes…, Porto, 13 de Julho de 2008


Tinham já passado mais de cento e cinquenta minutos (leram bem!) desde o início do concerto, quando Will Oldman abraçou calorosamente cada um dos seus músicos de jornada, agradecendo a todos no “biggest Mercedes” a calorosa recepção. Era o fim de uma festiva e longa viagem que coincidiu com o final da corrente tournée. Cada um dos presentes no esgotado bar da Ribeira, que não faltou à chamada apesar de uma escandolosa falta de referências e promoção da imprensa da nossa praça, não podia disfarçar um sorriso colectivo de satisfação e prazer por ter assistido e vivido um dos maiores concertos, em todos os aspectos, que o pequeno (grande!!) local jamais conheceu! Acompanhado por uma banda irrepreensível de músicos, onde brilha a violinista Emmet Kelly, Bonnie Pince Billy pôs para o lado muito do seu habitual humor corrosivo (basta lembrar o concerto a solo no Theatro Circo em 2007) para se concentrar na música tradicionalmente indie/folk, terreno onde continua imbatível. O contínuo desfilar de temas, seleccionados da mais recente dupla de discos, recaiu, no entanto, no country mais acessivel do último “Lie Down in The Light”. Sabendo das dificuldades logísticas para sair e regressar ao palco, Bonnie decidiu prolongar o concerto sem fazer encores, apostando para o final numa toada mais calma e de temática amor/ódio - pérolas como “Strange Love”, “I see a Drakness”, “Careless of Love” e ainda “Lay and Love” espalharam-se como incenso. Na oportunidade, o percussionista Michael Zerang saltou da sua “caverna” do fundo e decidiu passear-se com o pandeiro por cima do balcão, brindando a plateia com a sua dança e ritmo, num dos grandes momentos da noite. Sempre que tudo parecia ir terminar, uma nova canção, não alinhada, alongava o espectáculo. Tal como Bonnie referiu numa das poucas tiradas corrosivas da noite “este é o local mais perto de todos em que alguma vez tocamos”, proximidade que ontem no Mercedes foi o fio condutor de tão espirituosa e luminosa celebração.
(+ fotos desfocadas ;-) não há por ruptura já habitual de bateria...)

5 comentários:

Anónimo disse...

oi!
a violinista chama se ruby kash, o guitarrista é que é o emmett kelly... e a musica chama se careless love, sem o "of"

aBell Montenegro disse...

Parabens pela descrição pormenorizada de um dos maiores momentos (já foram muitos) deste pequeno espaço do Porto que é de todos nós.

JMiguel Neves disse...

grato pelas correcções!
Já há videos no sitio do costume
http://br.youtube.com/watch?v=WE0ZSUYIY2k

Anónimo disse...

a violinista será mesmo a ruby kash?! não me parece que ele tenha dito esse nome aquando da apresentação. fiquei sem perceber também. mas que foi um grande espectáculo foi. ;)

Anónimo disse...

Oldham em grande forma ;)

(a violinista é mesmo a Ruby Kash. o lado mais jazzista da menina "Ruby Kash and the Rockets" é um miminho!)