sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

BOM ANO DE 2011!

FAROL #89










O ano que agora termina foi em cheio para Owen Pallett. Um grande álbum, excelentes canções e concertos por perto, o que mais a norte se traduziu por duas visitas (Aveiro e Porto). Na sua estreia pela Invicta, que se realizou no início do corrente mês no Hard Club, o músico esteve sozinho em palco, mas o espectáculo, mesmo assim, não perdeu intensidade e brilhantismo. Os sempre atentos compinchas do blog Ashtapes estiveram por lá e registaram, como é habitual, o evento, que já se encontra disponível para audição e download. Agradecidos!

UM FARTOTE!

Para quem vai ficar em casa na primeira madrugada do ano, tem na emissão da RTP2 um apetitoso menu musical. A partir das duas da manhã serão transmitidos, nada mais nada menos, que três concertos ao vivo - Paul MacCartney, U2 e Bruce Springsteen. O espectáculo do Boss refere-se à sua passagem pelo Festival de Londres em Junho do ano passado e foi editado em DVD em 2010 com o nome de "London Calling - Live at the Hyde Park". Do ex-Beatle far-se-á a apresentação de "Good Evening New York", também registado em 2009 ao longo de três espectáculos no She Stadium nova-iorquino. Quanto aos U2, a escolha recaiu em "Live from Chicago"  referente à tournée "Vertigo" por terras americanas ao longo de 2005. A propósito...

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

LYNCH DELUXE


















Uma das surpresas de final de ano é, sem dúvida, a aventura de David Lynch na voz em dois temas da sua autoria. Tal como os seus filmes, os originais "Good Day Today" e "I Know" vão-se entranhando após sucessivas audições e a estranheza inicial vai-se diluindo lentamente. 
Mostrando que esta audaciosa proposta não é para levar a brincar, o realizador juntou-se a Vaughan Oliver, famoso designer de capas dos Pixies ou Cocteau Twins, para o registo cuidado das canções em formato luxuoso. Com o selo da Vinyl Factory, foi então concebida uma edição de capa tripla para guardar a sete chaves, onde, em dois vinis pesados (180gr) de 12", se apresentam, para além dos originais, uma meia dúzia de remixes a cargo de famosos conversores como Underworld, Diskojokke ou Boys Noize. No pacote, à venda a partir de dia 30 de Janeiro por 30 libras inglesas, cabe ainda um CD com todos os temas, para além de um impressão/litografia exclusiva assinada pelo próprio Vaugh Olivier.   
Entretanto, o desafio lançado pelo próprio Lynch para a concepção livre de videos para as canções novas tem já uma vintena de finalistas conhecidos e os vencedores serão anunciados no próximo dia 3 de Janeiro, segunda-feira. Uma das propostas é esta...

DRAKE ON JAZZ

Do you like Nick Drake? Do you like jazz? 
As respostas são mais que afirmativas! Por isso é com particular interesse que acompanhamos este projecto com base na cidade de Seattle que pretende homenagear o cantor britânico através da gravação, por inteiro, do seu primeiro álbum "Five Leaves Left" (1969) em versão jazz. A ideia é do músico Jason Parker e do seu quarteto e o registo deve estar estar a acontecer em estúdio ao longo desta semana. Para o efeito, foi solicitada a ajuda de amigos e simpatizantes e os 5000 dólares necessários foram alcançados, sem grandes dificuldades, devido à generosidade de quase 150 apoiantes!  

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

LISBOA?











Como é sabido, os norte-americanos The Walkmen inspiraram-se na capital portuguesa para construir e gravar "Lisbon", mas no álbum muito dificilmente se nota qualquer traço sonoro de lusitanidade. Pelo contrário, no design do diverso material promocional e em algumas edições de vinil, foram utilizados motivos bem portugueses como azulejos do Cais de Sodré ou a nossa famosa cortiça. Para o efeito a banda juntou-se em Agosto passado ao colectivo de artistas Etsy, tendo os referidos materiais ajudado a desenvolver um pacote triplo de tiragens limitadas do álbum. 
No seu novo single em vinil "Angela Surf City", publicado pela Bella Union, há um capa interior com duas imagens nocturnas que parecem ter sido captadas numa avenida lisboeta, localização ou autoria que não são nomeadas. Seja pela tipologia dos automóveis ou pela típica decoração natalícia, arriscamos que as fotos datam de Dezembro de 2008 quando os The Walkmen tocaram no Tivoli, situado em plena Av. da Liberdade. Será esta a artéria das imagens?

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

LUNARIDADES #111










. a prendinha que por aqui deixamos de Owen Pallett tem no seu "Export 3" uma verdadeira pérola: Sarah Worden (My Brightest Diamond) a dar voz a "The Great Elsewhere", um dos grandes temas do álbum "Heartland". Mas há mais quem goste...

. cumprida a tradição - 10 km a correr a São Silvestre = Francesinha, uma amiga estreante na prova lançou novo desafio para corrida semelhante em VNGaia já no próximo dia 9. Qual será, então, o prémio? Cabrito assado ou umas costelinhas em Espinho?

. entre chá e bolo rei, passamos uma tarde inteira a jogar Monopoly (Dinheiro Maluco), uma nova versão do clássico jogo para os mais novos com direito a uma máquina de dar notas, mas que em que os mais velhos presentes se revelaram os mais entusiasmados! Em tempos de crise, é sempre uma boa sensação ter entre mãos uns largos milhões...

. a Casa da Música "caiu na real" e desceu os preços do Clubbing para 10€ para todos os espaços e concertos. Medida acertada e que se revela tardia, depois de um ano de 2010 em nítido decréscimo de adesão e entusiasmo.  

. "Já Não Há Pachorra" nº 11.

DUETOS IMPROVÁVEIS #160

JOHNNY CASH & JUDY COLLINS
Turn, turn, turn (Pete Seeger)
"The Johnny Cash Show", ABC, E.U.A.,
15 de Abril de 1970

GOSTOS NÃO SE DISCUTEM, MAS...


















A lista de melhores 20 discos de 2010 do Ipsilon/Público é só mais uma lista. Vale pela abrangência e pela coragem em não eleger "Suburbs" dos Arcade Fire, escolha que respeitamos e até concordamos. Mas custa ver de fora o álbum de estreia dos Avi Buffalo, não porque foi a nossa escolha número um, mas porque o jornal teceu nas suas páginas e em diversas ocasiões, elogios diversos que vão de "uma luminosa adolescência" até "uma pequena maravilha". Mesmo assim, não chegou para ultrapassar, com todo o respeito, o Cee Lo Green ou o Camané... Infelizmente, uma incongruência a que o Ipsilon já nos habituou.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A ARTE DO VINIL


















A ligação da arte ao disco de vinil continua a merecer uma atenção e pesquisa constantes. No país vizinho, o autor José António Sarmiento publicou, através da Universidade de Castilla-La-Mancha, o resultado de uma investigação intitulada "La Música del Vinilo" e que teve, no corrente ano, direito a uma exposição em Cuenca. Trata-se de uma obra atractiva onde se traça uma panorâmica da utilização do vinil como objecto de difusão artística e de pensamento, mas, acima e tudo, como um novo suporte de criação utilizado por inúmeras correntes vanguardistas. Entre os autores e artistas representados no livro de quase 400 páginas, estão músicos como Lee Ranaldo, Velvet Underground/John Cale ou Yoko Ono/Jonh Lennon. Todos os exemplares são acompanhados por um single aleatório de 45 rpm que tanto pode ser do vanguardista Ben Vautier ou Kyle Minogue e que servirá para cada leitor realizar, ele próprio, uma experiência de homenagem a John Cage. Um livro que, neste Natal, ficaria bem em qualquer sapatinho... 

LUA ROSA EM MARÇO

















Em 1995, quando descobrimos a música e o talento de Nick Drake, o nome de Jason Creed era, então, referência obrigatória em todas as buscas bio-bibliográficas. Mentor e editor do fanzine "Pink Moon", publicado em Inglaterra entre 1994 e 2000, o seu esforço e dedicação formaram um conjunto de 19 números essenciais para perceber e clarificar a vida de tão misterioso cantautor. Algumas dessas páginas chegaram a estar disponíveis para download via Internet e a sua consulta tornou-se indispensável para todos os autores de biografias posteriormente editadas.
Surge agora a notícia de que a totalidade destas críticas, entrevistas, esclarecimentos quanto à técnica intrumental ou discussões sobre as influências do autor de "Pink Moon", vão ser compiladas em livro a editar pela Omnibus Press em Março próximo, casa especializada em música e que o ano passado publicou já um pequeno livro sobre Drake. Com o nome de "Nick Drake: The Pink Moon Files" este é, com toda a certeza, um compêndio apetecível e de rápida, mas atenta, leitura para todos os drakeanos.
Pink moon gonna get you all...

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

DUETO DE IMITAÇÃO

Em 1977 Bing Crosby recebeu David Bowie no seu programa televisivo "Bing Crosby's Merrie Olde Christmas" para um dueto de "Little Drummer Boy" e "Peace on Earth". A gravação foi até editado em single de vinil (reeditado agora pela Collectors' Choice Music) e constitui um daqueles incontornáveis clássicos de Natal, mas a aparição de Bowie tem, ainda hoje, algo de surreal, para o que contribuem os diálogos prévios e a pose... Pois bem, vejam só a paródia que os actores Will Ferrell e John C. Reilly decidiram realizar passados trinta e três anos! 



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

SAUDADES DO VERÃO











 


Os Jonkil, banda inglesa de Oxford, passaram por Portugal em Setembro de 2008 para uma dose tripla de concertos. No Porto, foi um Mercedes pouco composto que os recebeu, mas quem lá esteve não deu o tempo por perdido. O grupo não esqueceu facilmente a viagem, particularmente o seu líder Hugo Manuel, que parece português mas é galês e afinal também se chama Chad! Pois bem, o tal Hugo é agora Chad Valley, nome onde se esconde para a edição de um novo EP de traços mais electrónicos e relaxantes. O tema "Portuguese Solid Summer" é uma das novidades e a inspiração, como confessado, resulta de um fim de tarde bem passado numa das bonitas praias de Aveiro... 

TOMA LÁ, DÁ CÁ


















É amanhã que vamos comprar aquelas andorinhas pretas do Bordalo. Finalmente...

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

DUETOS IMPROVÁVEIS #159

LITTLE WINGS & FEIST
Look At What The Light Did Now (Feist)
"Look At What The Light Did Now" DVD, 2010

RE(LIDO) #28

COVER ART BY: NEW MUSIC GRAPHICS
de Adrian Shaughnessy. London: Laurence King, 2008
As capas dos discos são uma parte emotiva do mundo fascinante da música. Boas ou más imagens e desenhos resultaram em marcas incontornáveis no nosso crescimento musical e, ainda hoje, muitos dos impulsos na aquisição de vinil antigo ou moderno, ou até de cd's e dvd's, tem na capa e no embrulho uma das principais seduções. Com o advento da era digital, o saudosismo do suporte em papel cresceu a olhos vistos, mas o que é certo é que a importância de uma boa capa manteve-se inalterável, levando, cada vez mais, a um estreitar da colaboração entre o artista/banda e o criativo. O mundo da música continua, assim, bem atento a este fenómeno, basta para o efeito reparar nas já indispensáveis listas de melhores ou piores capas anuais  promovidas por sites ou revistas mainstream. 
A obra de Shaughnessy, um experimentado professor, pretende, com sucesso, realizar uma revisão das actuais tendências utilizadas na concepção de capas de discos, numa década de advento do mp3. Recolhendo o testemunho de trinta designers de todo o mundo, mas onde a Europa tem a primazia, este livro apresenta cerca 400 exemplos pertencentes a pequenas editoras, onde o amor pela música é sinónimo de preocupação com a sua embalagem. Seguindo um inquérito não exaustivo, mas muito pertinente, as respostas dos envolvidos relatam as suas principais influências, estratégias e filosofias, bem como o gosto pelos materiais ou os principais desafios. Há, entre eles, alguns nomes mais conhecidos como é o caso do alemão Jan Lankisch da Tomlab ou Jason Kedgley da Tomato inglesa, conhecido pelas fabulosas capas dos Underworld. O mais fascinante, contudo, foi a descoberta de uma imensidão de editoras e respectivos criativos perfeitamente obscuros para quem, como nós, não acompanha de tão de perto este fenómeno profissional. Gostamos particularmente da Hapna, editora sueca onde Klas Augustsson faz uma cintilante associação do desenho antigo com alfabetos manuscritos, da Check Morris francesa responsável por algumas das capas dos Chin Chin e de Lily Allen ou arrojo de Bjorn Copeland, músico dos Black Dice, que desenha de forma irreverente as próprias capas da banda. Claro que ficará sempre a dúvida se à qualidade do design corresponderá igual qualidade da música, embora no caso apresentado dos Nouvelle Vague o embrulho da autoria Dylan Kendle (Tomato) seja, manifestamente, de nível superior. Neste excelente livro, de consulta obrigatória para quem aspira a ter a sorte de desenhar capas de discos, há, felizmente, muito mais por onde escolher e descobrir, provando-se que este é um campo de experimentação e inovação artística a que é, cada vez mais, difícil resistir.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

SANTA WYATT


















O disco "For the ghosts within" editado pela Domino Records é o resultado de uma colaboração de Robert Wyatt com o saxofonista Gilad Atzmon e a violinista Ros Stephen. Entre os originais, surgem algumas versões de clássicos, contando-se entre eles o tema "What a Wonderful World" celebrizado na voz de Louis Amstrong. Como já nada é sagrado neste mundo e aproveitando a época natalícia, a editora decidiu publicar a canção como single digital para download, não resistindo a colocar na capa o próprio Wyatt vestido de Pai Natal, figura que lhe assenta na perfeição... Um pouco mais a sério, o próprio Wyatt refere-se à versão desta forma: “Our ‘Wonderful World’  is not sarcastic, ironic or even just sentimental. It's Social Realism: not the whole truth, but nevertheless The truth.” Confirmem.
 

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

3 X 20 ESPECIAL 2010













20 CANÇÕES x 20 ÁLBUNS x 20 CONCERTOS 
+ 10 Low + 10 High 2010
Mantendo o hábito, aqui ficam as nossas escolhas anuais e também alguns desabafos.

20 CANÇÕES:
1. ARIEL PINK'S HAUNTED GRAFITTI - Bright lit blues skies
2. MGMT - Siberian breaks
3. ADMIRAL RADLEY - Ghost of syllables
4. AVI BUFFALO - Can't I know?
5. CARIBOU - Leave house
6. OWEN PALLETT - The great elsewhere
7. GONZALES - You can dance
8. BELLE AND SEBASTIAN - I want the world to stop
9. GYPSY & THE CAT - Jona Vark
10. THE DIVINE COMEDY - Indie disco
11. JANELLE MONÁE - Locked inside
12. WHITEY - And when the sun goes down you'll know 
13. TRACEY THORN - Swimming
14. KISSES - Kisses
15. THE DRUMS - Let's go surfing
16. KONONO Nº 1- Konono Wa Wa Wa
17. EFTERKLANG - I was playing drums
18. RICHARD HAWLEY - There's a storm a comin'
19. JOHN GRANT - Queen of Danmark
20. GIL SCOTT-HERON - I'll take care of you

20 ÁLBUNS:
1. AVI BUFFALLO - Avi Bufallo
2. ARIEL PINK'S HAUNTED GRAFITTI - Before today
3. THESE NEW PURITANS - Hidden
4. OWEN PALLETT - Heartland
5. THE PHANTOM BAND - The Wants
6. JOANNA NEWSON - Have one on me
7. THE NATIONAL - High Violet
9. JOHN GRANT - Queen of Danmark    
10. DEERHUNTER - Halcyon Digest
11. EFTERKLANG - Magic chairs
12. GET WELL SOON - Vexations
13. FIELD MUSIC - Field Music (Measure)

14. TAME IMPALA - Innerspeaker 
15. BEST COAST - Crazy for you
16. MIDLAKE - The courage of others
17. AGNES OBEL - Philarmonics
18. CARIBOU - Swim
19. BEACH HOUSE - Teen dream
20. ALI FARKA TOURÉ & TOUMANI DIABATE - Ali & Toumani


20 CONCERTOS:
1. SONIC YOUTH, Coliseu do Porto, 23 de Abril
2. GIL SCOTT HERON, Casa da Música, 15 de Maio
3. BILL CALLAHAM, Festival Sinsal, Vigo, 19 de Fevereiro
4. JEFF TWEEDY, Vigo Transforma, 9 de Julho
5. ARIEL PINK'S HAUNTED GRAFITTI, Plano B, 28 de Junho
6. DEVENDRA BANHART, Vigo Transforma, 9 de Julho
7. OWEN PALLETT - C.Cult.Congressos, Aveiro, 12 de Março
8. CAETANO VELOSO, Coliseu do Porto, 29 de Julho
9. GRIZZLY BEAR + CIBELLE, Coliseu do Poto, 27 de Maio
10. PORTICO QUARTET, Esp.Cult. Pedro Remy, Braga, 23 de Março
11. THE PHENOMENAL HANDCLAP BAND, Manta, CCVF, Guimarães, 24 de Julho
12. THE DIVINE COMEDY, CAE, Guimarães, 27 de Novembro 
13. HEATHER WOODS BRODERICK + NILS FRAHM, Braga, 20 de Outubro
14. BEACH HOUSE, C.C. Vila Flor, Guimarães, 18 de Março
15. RICKIE LEE JONES, Casa das Artes, VNFamalicão, 3 de Julho
16. VIJAY IYER TRIO, Serralves, 10 de Julho
17. ALICE RUSSELL, Teatro Sá da Bandeira, 3 de Junho
18. SHELLAC, Serralves, 27 de Maio
19. ANE BRUN, Casa das Artes, VNFamalicão, 6 de Março
20. GARY NUMAN, Casa das Artes, VNFamalicão, 28 de Maio

10 LOW:
1. A "Casa dos Segredos" ou a estupidez televisiva vs espelho do país;
2. Os 25% que ainda acreditam num Pinóquio socrático;
3. O fenómeno Lady Gaga e as comparações com Madonna;
4. A (in)definição de Cultura para a Câmara do Porto;
5. O conformismo português que nem uma ridícula greve geral disfarçou;
6. O nosso dito "super-ministro" das Finanças preso nas teias sujas da política;
7. O preço proibitivo dos bilhetes para a maioria dos grandes concertos;
8. O desaparecimento do Theatro Circo de Braga do circuito pop/rock/indie;
9. Os salários "chico-esperto" das chefias da Capital da Cultura vimaranense;
10. O excesso sufocante de comentários e comentadores políticos.

10 HIGH:
1. O encontro imediato com os Sonic Youth nas traseiras do Coliseu;
2. O abraço a Gil Scott Heron nos camarins da Casa da Música;
3. O projecto vencedor Time-Out Porto;
4. A perfeição do programa "Coyote" do Pedro Costa (Antena3);
5. Os pregos ao fim da noite da Cervejaria Martins, Guimarães;
6. As sandes de presunto e os finos do Fernando de Mindelo;
7. A água do mar e o sol da Zambujeira em final de Agosto;
8. O conseguir ligar, quase sempre sem problemas, o iPod no carro;
9. Os dois antigos discos desconhecidos do Justin Vernon/Bon Iver;
10. Haja saúde!

Especial 2009

UM MÚSICO COM NOME DE PROFETA














No final do ano passado ficamos particularmente rendidos às canções que um novo soul man de nome Jonathan Jeremiah decidiu compor. Uma delas ("See") foi, aliás, um das nossas favoritas de 2009 e viria a ser incluída num dos dois 10" de vinil que, na altura, chegaram a ver a luz do dia. Desde aí, ficamos sempre atentos a qualquer movimentação de tão grande talento, mas um misterioso silêncio abateu-se, prolongadamente, sobre o seu paradeiro. Até hoje! Neste dia é posto à venda (em sete polegadas!) o tal "See (It Does Bother Me)" como primeiro single de um álbum a editar em Março próximo e que receberá o nome de "A Solitary Man", o que, atendendo à sua atribulada vida, deverá querer dizer muita coisa. O artista realizou, entretanto, alguns concertos no Borderline de Londres, onde com a ajuda duma orquestra apresentou, para plateias esgotadas, maravilhas como esta...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O REGRESSO DOS ENTES QUERIDOS
















Quase três anos depois, os The Dears dão, finalmente, notícias! O quinto álbum de originais está pronto, chama-se Degeneration Street e tem data de lançamento marcada para Fevereiro próximo via Dangerbird Records. O tema "Blood" que circula por aí em regime de oferta, tem já direito a uma video captado ao vivo no México em Maio passado, embora o primeiro single oficial seja "Omega Dog". A banda decidiu, entretanto, apostar num canal teste onde têm sido apresentadas em streaming as novas canções e a que chamaram Radio Degeneration. Continuamos, pacientemente, à espera de um concerto por perto. 

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

FEIST: A CULPA É DA LUZ











Foi hoje posto à venda na Europa o documentário "Look At What The Light Did Now" da canadiana Leslie Feist. O álbum "The Reminder" de 2007 é o fio condutor do filme que aborda o processo de gravação do disco e dos videos e as várias colaborações implícitas, de músicos, a designers, passando por entrevistas e actuações ao vivo de uma digressão que passou pelo Coliseu do Porto em Junho de 2008. Para além de mais alguns pequenos filmes e dos próprio videos, o DVD inclui um cd audio com treze temas onde se misturam inéditas perfomances em palco, um dueto com Little Wings e também canções de Feist ("1234", "Intuition", "The Water" e "Sea Line Woman") interpretadas em estúdio pelo amigo e colaborador Gonzales. Quatro dos temas podem ser, desde já, escutados por aqui. Aparentemente, uma grande prenda de Natal!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

DUETOS IMPROVÁVEIS #158

THE DIVINE COMEDY & CATHY DAVEY
I Only Have Eyes for You (Harry Waven)
Ao vivo na Manchester Academy, Inglaterra
9 de Novembro de 2010

RICKIE LEE JONES EM DVD


















Já em Janeiro e pela primeira vez, um espectáculo de Rickie Lee Jones estará disponível em DVD. Trata-se de um registo inicialmente realizado para televisão durante um concerto em Estocolmo no teatro Berns Salonger, um edifício histórico construído em 1862. Gravado a 7 de Março deste ano, o filme-concerto é dirigido por Ian McCrudden ("The Life of a Jazz Singer") e nele são apresentados a maioria dos clássicos que fazem parte dos trinta anos de carreira de Jones. Em palco a artista tem o acompanhamento magistral de Joey Maramba no baixo e Lionel Cole na bateria, numa digressão que passou por Portugal em Julho, numa data única em V. N. de Famalicão, mas onde o referido baterista, infelizmente, não compareceu.
Entretanto, RLJ tem concertos já marcados para a Costa Este dos Estados Unidos onde fará a apresentação inédita dos seus dois primeiros álbuns ("Rickie Lee Jones " e "Pirates") que serão tocados na totalidade. Como prenda da época e tal como o ano passado, a artista mantém a oferta de três canções natalícias.