terça-feira, 6 de outubro de 2009

TV BUDDHAS + HEAVY TRASH + PUBLICIST, Festival “Se Esta Rua Fosse Minha…”, Rua Cândido dos Reis, Porto, 3 de Outubro de 2009


Montados nos extremos opostos da Rua Cândido dos Reis, estavam dois palcos de diferentes dimensões. Um deles, mais perto da Torre dos Clérigos, num cenário particularmente brilhante, recebeu, para começar, os TV Buddhas. O duo israelita rapidamente atraiu as atenções, quer pelo vigor instrumental de uma simples guitarra eléctrica e bateria, uma fórmula que os White Stripes celebrizaram, quer pela massa humana que os rodeou. Cedo e a convite da banda, o pequeno palco foi invadido por gente em festa, uma onda vibrante e surpreendente a que até os supostos VIP’s, que enchiam a varanda do Clube Portuense, correspondiam com um balanço tímido… Música incisiva, potente, em meia hora de delírio psicadélico.
Num espaço de curtos minutos, no palco maior e mais elevado, os Heavy Trash faziam-se anunciar pela voz de John Spencer. Com um novo álbum na calha, a dupla Spencer/Verta-Ray não se fez acompanhar, desta vez, do trio Power Solo, formação que o ano passado se apresentou no Porto em tripla dose inesquecível. Agora complementam a banda um baterista e um contrabaixista experimentados, mas o som clássico de rock-roll e blues continua bem forte e enérgico. Com Spencer e o seu vozeirão a comandar a quadrilha, destacou-se a guitarra irrepreensível de Verta-Ray, uma sonoridade sem data e sem dono. Um concerto de boa reciclagem de géneros, a que faltou um pouco mais de intimidade e calor. A promessa de um novo espectáculo no dia seguinte no PlanoB, afigurava-se, por isso, um desafio.
A fechar a noite e de volta ao palco/estrado mais pequeno, mais uma óptima surpresa! De tronco nu à volta duma bateria, Sebastian Thomson, aka Publicist, marcava o ritmo sob uma base electrónica pré-gravada e que rapidamente despoletou o efeito pretendido. Dança e braços no ar de gente divertida e que, obviamente, submergiu o músico com palmas e outros incentivos. Pena que tenha durado tão pouco. A prova que, tal como nos grandes festivais, nem sempre é no palco maior que acontecem os melhores concertos.
Uma noite bem passada, na rua, o que começa a ser uma tradição que não acontece só no São João. A cidade é nossa!

2 comentários:

Rita disse...

Olá!

estamos a fazer um arquivo fotográfico do festival com os devidos créditos para colocar no site e para uma futura exposição. Será que nos podiam enviar as v/ fotografias pelo yousendit.com para o plano.b.festival@gmail.com

Obrigado!
O Plano B

JMiguel Neves disse...

Não usamos yousendit, mas vamos mandar, como anexos, via email(s).