quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

WE TRUST + BEST YOUTH + FATHER JOHN MISTY, Teatro Municipal de Vila do Conde, 12 de Novembro de 2012

Temos por norma não chegar atrasados aos concertos, tentando desta forma não incomodar quem se sentou a horas. Ontem, excepcionalmente, só meia hora depois dos Best Youth e dos We Trust entrarem em palco é que alcançamos o lugar, o que acabou por ser quase uma benção! É que juntas, as duas bandas do Porto perderam quase toda a sua frescura e até distinção, passando a ser mais um projecto banal com um som pleno de clichés pop irritantes e perfeitamente dispensáveis. Basta ouvir, por exemplo, como ficou "Hang Out" na nova versão (ver video abaixo, mesmo com a ajuda dos Air) para questionar a aposta neste 2 em 1 sensaborão. Talvez seja o efeito precoce "festivais de verão" do próximo ano a fazer mossa... Ah, já agora, os Fleetwood Mac não mereciam tamanha afronta!

Após um intervalo para meditação, felizmente que havia um "padre" no edifício prontinho a "baptizar" todos os presentes e a fazê-los acreditar que havia uma "missa" purificadora para ouvir. Não foi preciso muito tempo para que Father John Misty, ou seja, o "reverendo" Josh Tillman e os seus coadjuvantes elevassem a fé colectiva para níveis supremos. Com uma garrafa de champanhe a servir de adereço retemperador, Tillman esteve imparável na dança, na cantoria e interacção com o público, desfiando quase todos os temas do álbum "Fear Fun" com uma segurança e subtileza dignos da palavra "divinos". Talvez inspirado pela qualidade do "templo", uma dimensão espacial pouco habitual na digressão que ontem terminou, o elixir libertador da ocasião promoveu boa disposição, alguma blasfémia e muitos exercícios de espraiamento que o prolongamento do palco permitia, um esforço sempre regado com mais um gole de líquido milagroso. Momentos altos da "cerimónia"? Talvez o "Nancy From Now On" e "Hollywood Forever Cemetery Sings" ou as duas versões do encore (dois clássicos distintos,"Nevertheless (I'm In Love With You)" de Bert Kalmere e Harry Ruby acompanhado por uma única guitarra e o a matar "On The Road Again" dos Canned Heat), mas este é daqueles espectáculos redentores de conversão imediata e, por isso mesmo, inesquecíveis. Ficamos, como não poderia deixar de ser, milagrosamente convertidos!         


















full concert em HugTheDj.

3 comentários:

César Pires De Sousa disse...

Só foi mesmo pena a falta de cerveja, os lugares serem sentados e PRINCIPALMENTE a medíocre plateia(talvez pouco conhecedora do trabalho do j.tillman). Mediocridade essa q passou por nem de pê congratular os artistas(tanto Father John Misty como os elementos portugueses, mais habituados a estas andanças).

De resto nada a apontar..
John Tillman icônico como sempre.
O guitarrista com uns solos incríveis...
Um encore muito bom apesar da plateia merecer que eles se tivessem posto logo a andar,vi o concerto em Londres no XOYO e o encore não foi tão especial como este.

Sem nada contra os Vila Condenses, ainda não são possíveis concertos destes fora de Lisboa ou do Porto.

César Pires De Sousa disse...

e parabéns pelo post, está mto bom.

Miguel Oliveira disse...

Discordo.
Estava lá para ouvir Misty, mas Best Youth aqueceu o publico muito bem. Eles acabaram bem melhor do que Father Misty começou.

A letargia inicial da plateia (aquando Misty) explica-se exactamente pelo atraso das pessoas. Metade da audiência entrou só para ver John Misty e não foram aquecidos.

O espectáculo começou 20 minutos depois do previsto, e ainda fizeram um intervalo de 15 minutos.
O que as pessoas mereciam é que alguém fosse rigoroso e fechasse as portas.

Sinceramente não percebo porque acabaram estes artistas a sua tour europeia em Vila do conde, eles mereciam melhor audiência.

O teatro é muito bom, mas as cadeiras não deixaram dançar tanto quanto queria.
O espectáculo valeu muito mais que os dez euros que paguei.